quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Frase Bacaninha

"O Ibama considera um crime a confecção de bolsas com couro de jacaré, mas não há lei que proíba a confecção de bolsas-família com o couro da classe média".

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

And the Oscar goes to...

Do Uol:

Numa festa morna e sem grandes surpresas, "Onde os Fracos Não Têm Vez" foi o grande vencedor da 80ª. edição do Oscar. O filme dos irmãos Joel e Ethan Coen levou quatro dos oito prêmios artísticos, incluindo melhor filme, direção, roteiro (também para os irmãos Coen) e ator coadjuvante (Javier Bardem). O principal concorrente, "Sangue Negro", apenas confirmou o favoritismo de Daniel Day-Lewis como melhor ator, algo que era dado como certo até pelo mundo mineral de Hollywood.

Stewart, apresentador da cerimônia, conduziu a festa com graça e bom humor, mas foi comedido demais para quem conduz um explosivo programa de sátira política na televisão americana. Gentil e muito educado, foi o responsável por trazer de volta ao palco a pianista tcheca Marketa Irglova, ganhadora do prêmio de canção ao lado de Glen Hansard com "Falling Slowly", do filme "Once", para que pudesse completar o seu agradecimento.

As mulheres se fizeram notar mais do que os homens nessa edição, seja pela elegância, pela deselegância ou pela surpresa. A francesa Marion Cotillard, melhor atriz por "Piaf - Um Hino ao Amor", será lembrada tanto por sua beleza, quanto pelo figurino e também pelo bonito discurso.

A talentosa ex-stripper Diablo Cody, roteirista de "Juno", entrará para a história das mais mal vestidas do Oscar por causa de um vestido de oncinha. E Tilda Swinton, a magnífica atriz britânica que trabalha com George Clooney em "Conduta de Risco", fez história por derrubar concorrentes fortíssimas na categoria atriz coadjuvante e da generosidade de suas palavras.

No capítulo momentos encantadores, houve alguns dignos de nota. Entre os quais, um que certamente será repetido nas próximas edições, foi quando o roteirista Robert Boyle, 98 anos, o homenageado da noite com um Oscar honorário agradeceu a Hitch por ter se arriscado a aceitá-lo na indústria de cinema. O Hitch a quem Boyle se referia era ninguém menos do que Alfred Hitchcock, com quem trabalhou em "Intriga Internacional" e "Os Pássaros".

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

O Paulistão dos Pequenos

Tal como em 2007, três times do interior estão entre os quatro que se classificam para a fase final do Campeonato Paulista. Ponte Preta, Guaratinguetá e Noroeste, deixaram para trás os tradicionais Palmeiras, Corinthians e Santos e rumam firme à fase semi-final.Particularmente, acredito que dois times grandes e dois do interior se classificam para as semi-finais: Guará, Ponte, São Paulo e Palmeiras. Mas independente do que vai acontecer ao final do turno, a disparidade entre os pequenos e grandes em São Paulo é cada vez menor.

Ok, sei, que é possível usar a velha argumentação de que o Paulista é laboratório para a Libertadores e a Copa do Brasil. E eu concordo plenamente. O Palmeiras, entre os quatro grandes, é o único time realmente interessado em conquistar o Paulista, para sair da fila de seis anos sem conquistar títulos.

Mesmo assim, os quatro grandes estão entrando em campo com força máxima. Esse ano, diferente de 2007, nem mesmo o São Paulo escapou de uma reformulação considerável nesse início de temporada e por isso, os times ainda não engrenaram de vez. Mesmo assim, a disparidade na qualidade do elenco dos grandes e pequeno é enorme e não deve ser ignorada.

Em contrapartida, os times pequenos aproveitaram o calendário um pouco mais folgado e se prepararam melhor durante a pré-temporada. A Ponte disputou a Série B, mas como não entrou na briga do ascensão, não teve um final de campeonato tenso. O Noroeste não chegou a final da Série C e o Guará não disputou nenhuma das séries do Brasileirão. A esse fator, soma-se a manutenção as poucas mudanças no elenco e dai, se pode entender o sucesso dos times do interior no início do Paulistão.

Cada vez mais, o Paulistão deverá ser dos times pequenos, já que a tendência é que os times grandes usem o estadual como pré-temporada. O Paulista a cada ano tem menos charme e eu, a cada ano, sinto, mais e mais, saudades do Rio-São Paulo.

"Approach"ando..

Há 29 anos atuando como jornalista, Lourdes Rodrigues, editora assistente das editorias "Plano Pessoal" e "Vida Executiva" do jornal Gazeta Mercantil, inaugurou a nova sede da Approach São Paulo durante um agradável café-da-manhã com a equipe.

Antes da Gazeta Mercantil, Lourdes trabalhou nas rádios Bandeirantes, Capital, CBN, Cultura e Globo. Também trabalhou na TV Bandeirantes e produziu livros corporativos. Há cinco anos, está na Gazeta. "É o único emprego em veículo impresso que tenho no currículo", afirma. "Minha escola é mesmo o rádio, onde atuei durante 13 anos".

P: O que você aprova e o que não gosta no trabalho dos assessores?
Lourdes Rodrigues: Release mal escrito não dá. É uma coisa que deveria ser óbvia, mas não é. Tem texto que é muito grande e têm outros em que faltam informações. Uma situação sempre bem desagradável e que ocorre com alguma freqüência é quando o assessor insiste em vender uma pauta que você já descartou. Não adianta insistir, porque não é não. Outra coisa chata é quando o assessor manda o release e liga na hora para repetir o que o texto diz. A ligação vale quando se trata de uma pauta exclusiva e, de preferência, que seja entre as 14h e às 16h. Depois das 17h, quando entramos em fechamento, é quase impossível atender ao telefone. Às vezes, preciso tirar ele do gancho, para conseguir trabalhar (risos).

P: Aproveitando o gancho, há tanto tempo atuando em redação, como você avalia a atuação das assessorias?
L.R: Melhorou muito. Veja que há uma evolução no trabalho dos assessores. É comum receber alguns releases que, de tão bem escritos, acabam dificultando o nosso trabalho, pois quase não há o que editar. Você quebra a cabeça para mudar, fica procurando o que perguntar, mas o texto já está lindo, completo.

P: Como você avalia sua carreira?
L.R: Minha formação é no rádio, onde trabalhei durante 13 anos, quase sempre como editora, quase nunca como repórter. Aliás, sempre preferi escrever e editar, a atuar como repórter. A Gazeta é o único jornal impresso que tenho no currículo. Estou lá, entre idas e voltas há cinco anos. A Gazeta é um jornal mais elitizado, voltado para executivos, mas eu já escrevi para os mais diferentes tipos de público. Jornalista é jornalista em qualquer situação.

Paixão

"Explicar a emoção de ser palmeirense, a um palmeirense, é totalmente desnecessário. E a quem não é palmeirense... É totalmente impossível".

By Joelmir Beting

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

O dólar e a batata

Tá no Uol: Dólar cai e atinge menor nível em quase oito anos

Por Fabio Gehrke, Reuters

O dólar fechou em queda pela terceira sessão consecutiva atingindo o seu menor nível de encerramento em quase oito anos, aproveitando a melhora do cenário externo.

A moeda norte-americana caiu 0,52%, a R$ 1,725, seu menor nível desde 23 de março de 2000, seguindo o bom humor da bolsa paulista e o fluxo de entrada da divisa.

O dólar passou toda a manhã operando em alta, acompanhando a tensão do mercados frente aos números acima do esperado da inflação ao consumidor norte-americano combinado com os altos preços do petróleo.

Segundo Renato Schoemberger, operador da Alpes Corretora, o índice dos preços ao consumidor veio "praticamente em linha com as expectativas do mercado, este só deu uma reagida pontual".

Comento:
Queda do dólar é algo que me traz uma apetitosa e saborosa lembrança. Sabe batata Pringles? Pois é, na época da paridade R$ 1 = U$ 1, Pringles em Pedro Juan Caballero, Paraguay, divisa com Ponta Porã, MS, custa R$1. Quando fiz 11, os salgadinhos da minha festa foram oitenta latinhas de batatas Pringles, que custaram R$ 80. Fosse hoje, ao preço de R$ 7,20 que se paga nas Lojas Americanas, a brincadeira iria custar R$ 576. Não sei quanto está custando pringles hoje em Pedro Juan. Pois há seis anos não vou para lá.

Mas que seria legal voltar a comer as batatinhas (principalmente a de páprica) desembolsando só um realito, ah, isso seria...

Fidel, Iurd e o BBB 8

Recomendo a leitura do depoimento de Ruy Mesquita sobre Fidel Castro. Está na edição de hoje, do Estadão. A informação interessante fica por conta da defesa de que Fidel Castro, em seu princípio, não era um comunista. Para Ruy, ele acabou sendo empurrado para os braços da União Soviética, já que os Estados Unidos jamais apoiaria o regime que derrubou seu protegido Fulgêncio Batista. Em linhas gerais, Mesquita defende que, de liberal, Fidel se tornou um ditador comunista, enquanto seu irmão Raúl, que sempre foi adepto do Stalinismo, com o passar das décadas, está se tornando um socialista moderado.

A chamada de capa do UOL agora de manhã traz a notícia que Raúl Castro pediu ao presidente Lula que ajude cuba nesse momento de transição. Gostei, já que a outra opção dos cubanos seria pedir ajuda ao venezuelano Hugo Chávez – que hoje já ajuda a ilha, vendendo petróleu subsidiado e importando mão-de-obra médica. Aliás, um dos objetivos da viagem que Lula fez a Cuba no último mês foi para se aproximar dos sucessores de Fidel. Apesar do caráter esquerdista do governo petista, O Itamaraty avalia que a influência de Chávez sobre Cuba não interessa ao Brasil.

Veremos.
--

A ANJ publicou nota em que classificou como intimidação as diversas ações movidas por fiéis da Igreja Universal do Reino de Deus, como tentativa de intimidação do trabalho da imprensa.

Alguma novidade?
Vergonha mesmo é a desculpazinha esfarrapada da IURD, que diz que respeita a liberdade de imprensa. Ahn, ahn, ta bom, conta outra.

É fato que a IURD induz seus fiéis a doarem dinheiro para a igreja, com a promessa de fortuna fácil. Isso é fácil de constatar, basta ir a um culto da Universal (eu já fui e sei do que falo).

É fato também que além da motivação religiosa – a IURD não suporta críticas – a briga envolve principalmente o poder da comunicação. Além de dona da TV Record, a igreja comandada pelo bispo Edir Macedo é dona de 30 jornais e possui inúmeras emissoras de rádio.

Mas a meu ver, a IURD erra na tática. A única coisa que a igreja conseguiu com essa tentativa de intimidação, foi jogar toda a imprensa contra o conglomerado evangélico. Basta ver que a nota emitida pela ANJ é hoje, tema de matéria em praticamente todos os grandes jornais do país. Não querendo subestimar o poder de fogo de Edir Macedo, mas jornalistas são corporativistas. Isso pode ser um grande tiro no pé que a IURD está dando em si própria.

Como diria o Odil, “pequenas igrejas, grandes negócios”. Ou adaptando para a Universal, “Grandes igrejas, negócios maiores ainda”.

--
O Fernando foi eliminado do BBB8. E eu com isso?

Não assisti nenhum pedacinho que seja dessa edição, não gosto do programa, e não sei quem é Fernando. Por isso, me senti praticamente uma ET ontem, no Pueblo Bar, quando a turma começou a comentar o programa.

cada vez que vejo alguém gastar mais que dois minutos para discutir BBB, eu tenho vontade de enfiar a cara na terra e sumir do planete. Nada contra quem goste, mas sabe como é, entre vez modelitos sem talento nenhum no cio e assistir ao History Channel, sou mais a segunda opção.

--
E mais tarde tem Palmeiras...

terça-feira, 19 de fevereiro de 2008

Rapidinhas Alvi-verdes

O Ajax, como todo o futebol holandês só ergueu a cabeça lá pelo final dos anos 60, com aquele time surpreendente de Cruyff, sob o comando de Rinus Mitchels.

Naquela época, nós, por aqui, sequer imaginávamos que futebol era aquele que varria do mapa europeu as Juventus, os Benficas e os Barcelonas da vida.

No máximo, colhíamos algumas imagens esparsas daquele loirinho espigado e liso (Cruyff) varando defesas e marcando gols feito nossos mulatos e negros maravilhosos. Eis que, então, surge a notícia de que um fisicultor holandês estava fazendo estágio no Guarani de Campinas.

E o Zé Márcio Mendonça, hoje comentarista político, foi até lá desvendar-nos o mistério: afinal, que futebol era aquele, quais os seus segredos?

Na volta, Zé Márcio explicou, com gráficos e tudo o mais, o tal futebol-total dos holandeses. Por fim, ao pedir para o gringo personificar tudo aquilo, a resposta do holandês foi direta e sintética:

- Não sei qual a surpresa para vocês. Jogamos como joga o sr. Ademir da Guia.

(Em tempo: na Copa de 74, quando enfrentamos os holandeses, Ademir nem no banco ficou).

By Alberto Helena Jr.
--

O Palmeiras tem vários Rios pela frente...

AMANHÃ: PALMEIRAS X RIO CLARO
SÁBADO: PALMEIRAS X RIO PRETO
DIA 02/03: PALMEIRAS X RIO TIETÊ...

(By Dicarne - lista da Muda Palmeiras).

Essa é pracabá...

Há um tempinho, está rolando no YouTube, uma montagem que mostra discos voadores passeando por Araraquara.

O vídéo é bem engraçadinho, no melhor estilo Chapolim. Por isso, eu não sei se rio ou choro com algo que me deparei hoje.

Eis que abro site Terra e vejo... uma chamada para o vídeo na capa do site!

Considerando-se que hoje, Fidel Castro apenas RENUNCIOU ao posto de ditador cubano, eu não consigo decidir se o Terra virou um site de humor ou se minha profissão morreu e nunguém me falou sobre o enterro.

Dúvida? Veja...


E continua o lobby rosa

É isso ai. O imperador da cachaça pegou dois joguinhos de suspensão pela cabeçada que deu no Domingos, jogador do Santos, durante o clássico Bicharada X Baixada.

Alguma surpresa?

Há tempos, o lobby rosa do São Paulo FC pressiona árbitros e o STJD a favorecer o time do Jardim Leonor. Tanto que, apesar de ser um dos times mais truculentos durante o Campeonato Brasileiro do ano passado, o São Paulo conquistou "apenas" 12 pontos com a ajuda (intencional ou não) da arbitragem - para saber mais, clique aqui.

Obviamente, o tal julgamento só poderia dar no que deu: em nada.

Aliás, ou vi um argumento muito inteligente sobre a sentença do STJD: o Adriano não agrediu o Domingos. Queria mesmo é dar um beijo na boca dela.

Que acham??? Será que foi por isso que o Domingos, depois do jogo, afirmou que o Adriano não o tentou agredir?

A rosca tá queimando solta!

--
Fidel Renunciou

Hoje de manhã, estava ouvindo a CBN, vindo para o trabalho. Tive o prazer de acompanhar um debate entre o professor de Denis Rosenfield e um outro professor da UFSC que, de tão desprezível, não consegui gravar o nome. O tema do debate era a renúncia de Fidel Castro.

Confesso que tinha vontade de vomitar cada vez que o tal professor da UFSC falava. Só para variar, mais um intelectual comunista, que acha que a ilha do Fidel é a sétima maravilha do mundo. Os argumentos eram os de sempre: não existe analfabetismo, todos estudam, todos têm trabalho, a ilha só vive uma situação de penúria devido ao horripilante e malvado embargo ianque, e blá, blá. Não vou comentar a posição do Rosenfield, corretíssima, mas algumas questão não foram postas ao professor comunista e, por isso, quero lançar aqui.

1. Se o capitalismo é tão ruim, se os Estados Unidos são os monstros malvados, porque eles reclamam tanto do embargo americano?
2. Se Cuba é tão legal, porque os cubanos fogem de lá?
3. Se os latino-americanos desejam ter o padrão de vida dos cubanos, conforme afirmou o tal professor, por que não vemos ordas de pessoas tentando entrar desespedaramente em Cuba?
4. Por que os cubanos não podem viajar?
5. Por que o tal professor, que acha Cuba o máximo, não vai morar lá e pára de falar merda?

Aguardo, ansiosamente, as respostas. Mas elas tem que ser lógicas, ou não vale, ok?

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

A Farra dos Cartões Corporativos

Virou moda no orkut inventar as mais criativas dublagens para o filme "A Queda". A mais recente - e super bacaninha - é a que simula um papo do nosso adorado molusco presidente Lula comentando os gastos com os cartões corporativos.

Clique aqui e se divirta!

Palmeirenses lançam campanha contra patrocinadores da Jovem Pan

Brahma, Banco Santander, Lojas Cem, Dreher, Stech Materiais Elétricos, Engov e Wolkswagen Caminhões e Ônibus são empresas que estão na mira dos palmeirenses. No próximo sábado, dia 23, durante o jogo Palmeiras X Rio Claro, 10 mil panfletos serão distribuídos nas imediações do estádio Palestra Itália, convocando a torcida a boicotar as marcas, que são patrocinadoras dos programas de esporte da Rádio Jovem Pan, além da própria emissora.

A manifestação é uma reação ao editorial veiculado pela Jovem Pan no último dia 15, que acusou Luiz Gonzaga Beluzzo, diretor do Palmeiras, sócio da revista Carta Capital e presidente da TV Brasil, de incitar a torcida a boicotar a emissora. O objetivo da torcida é pressionar a Jovem Pan a emitir um pedido de desculpas oficial ao cartola palmeirense e aos torcedores do clube.

A Jovem Pan baseou o conteúdo do editorial em um e-mail assinado por um torcedor chamado Luiz Gonzaga, publicado no fórum "Palmeiras Todo Dia", criado e administrado por torcedores palmeirenses. No e-mail, o torcedor afirmou: "Se eu fosse diretor da Sociedade Esportiva Palmeiras proibiria a entrada de Fredy Júnior no clube Fim de papo. Aceitaria, inclusive, de bom grado, que a Jovem Pan fizesse a represália (sic) de nunca mais transmitir jogos do Verdão". O conteúdo chegou ao conhecimento da emissora que, achando que se tratava do diretor de planejamento do clube paulista, colocou no ar seu editorial, repudiando o conteúdo.


Ao perceber o engano, a emissora mudou o discurso e se apressou em dizer que o editorial foi baseado em um texto do verdadeiro Belluzzo, publicado em um blog do Portal Terra, no dia 11 de fevereiro, e não naquele assinado pelo autor desconhecido.

No texto em questão, Belluzzo critica o narrador Rogério Assis, da Jovem Pan. Disse ele: "Meu e-mail ficou entupido de vociferações e impropérios dirigidos ao narrador do jogo Palmeiras e Guarani. Rogério de tal, lotado na Jovem Pan, saiu-se com essa, ao narrar uma embaixadinha desnecessária e, digo eu, desrespeitosa do chileno: 'Se fosse jogador do Guarani, bateria no Valdívia'. Literatura de blog, sob a forma oral. Imagino, se escrita, quais seriam as respostas dos comentaristas. Arrisco uma: se fosse torcedor do Palmeiras, lhe daria umas porradas", afirmou o cartola.

Recentemente, os torcedores do Palmeiras lançaram uma campanha para que a Suvinil, patrocinadora do time, trocasse a logomarca estampada na manga da camisa palmeirense. A empresa acabou cedendo ao apelo da torcida e trocou o logo colorido por um totalmente branco.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Denilson Acerta com o Palmeiras

Atacante é o novo reforço do Verdão para a temporada

São Paulo (SP) - O goleiro Marcos não é mais o único pentacampeão do mundo do elenco palmeirense. Depois de uma rápida conversa com seu irmão e procurador, Dênis de Oliveira Araújo, o atacante Denílson aceitou a contra-proposta do Palmeiras e é o sétimo reforço da equipe alviverde para a temporada 2008.

A confirmação oficial partiu do diretor de Futebol do Verdão, Genaro Marino. “Ele assinou conosco até o final da temporada e será apresentado no início da próxima semana”, informou o dirigente, confirmando ainda que o vínculo será “de risco”.

“Ele aceitou e há em seu contrato uma cláusula de produtividade. Quanto mais e melhor ele jogar, maior será o seu salário”, simplificou Genaro, que não soube informar, no entanto, se a exigência do procurador do jogador em colocar no contrato uma cláusula liberatória no caso do aparecimento de uma oferta do exterior em julho, foi cumprida.

“Não estou com todos os detalhes contratuais em mãos. Só sei que ele assinou até o fim de dezembro, mas pode ser que haja essa cláusula”, concluiu o diretor de Futebol palmeirense.
O irmão e procurador do atleta, Dênis de Oliveira Araújo, foi procurado pela reportagem da GE.Net para confirmar a existência da cláusula no contrato de Denílson, mas desligou seu telefone celular.

Aos 30 anos, Denílson volta a atuar no futebol brasileiro depois de uma apagada passagem pelo Flamengo, em 2000. Nas últimas três temporadas, também passou sem brilho por Bordeaux, da França, Al Nassr, da Arábia Saudita, e FC Dallas, dos Estados Unidos.

Da Gazeta Esportiva.Net

Minha opinião:
A diretoria foi inteligente ao impor um contrato de risco. Sempre achei o Denilson chinelaço, mas perto de Luiz Henrique, Max e outras tranqueiras, ele é melhor mesmo que jogue com uma perna só.

Tomara que faça a diferença e arrebente jogando ao lado do Alex Mineiro (que não vai precisar mais voltar para buscar a bola fora da área). Assim, o Vardívia volta pro meio para articular as jogadas ao lado do bom Diego Souza.

Se tudo começar a dar certo, o Campeão Paulista de 2008 terá a seguinte escalação:

Marcos; Elder Granja, Gustavo, Henrique e Leandro; Pierre, Wendell, Diego Souza e Valdívia; Alex Mineiro e Denílson.

Abraços,

Pessoas e Pessoas

Pelo sim, pelo não, vale o registro!

Em raro momento de consenso na Assembléia Legislativa de São Paulo, tucanos e petistas discursavam, em agosto passado, contra a decisão do juiz que arquivou processo movido pelo jogador tricolor Richarlyson contra um dirigente de futebol (do Palmeiras) que o chamara de gay.

-Proponho uma moção de repúdio!-, bradou Bruno Covas (PSDB), criticando ainda o conteúdo da decisão do juiz, em seu entender homofóbico.

José Cândido (PT) pediu um aparte:

-Concordo plenamente, nobre colega! E digo mais: nós, simples pessoas físicas, até podemos errar. Mas os juízes, que são pessoas jurídicas, nunca!