sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

O Paulistão dos Pequenos

Tal como em 2007, três times do interior estão entre os quatro que se classificam para a fase final do Campeonato Paulista. Ponte Preta, Guaratinguetá e Noroeste, deixaram para trás os tradicionais Palmeiras, Corinthians e Santos e rumam firme à fase semi-final.Particularmente, acredito que dois times grandes e dois do interior se classificam para as semi-finais: Guará, Ponte, São Paulo e Palmeiras. Mas independente do que vai acontecer ao final do turno, a disparidade entre os pequenos e grandes em São Paulo é cada vez menor.

Ok, sei, que é possível usar a velha argumentação de que o Paulista é laboratório para a Libertadores e a Copa do Brasil. E eu concordo plenamente. O Palmeiras, entre os quatro grandes, é o único time realmente interessado em conquistar o Paulista, para sair da fila de seis anos sem conquistar títulos.

Mesmo assim, os quatro grandes estão entrando em campo com força máxima. Esse ano, diferente de 2007, nem mesmo o São Paulo escapou de uma reformulação considerável nesse início de temporada e por isso, os times ainda não engrenaram de vez. Mesmo assim, a disparidade na qualidade do elenco dos grandes e pequeno é enorme e não deve ser ignorada.

Em contrapartida, os times pequenos aproveitaram o calendário um pouco mais folgado e se prepararam melhor durante a pré-temporada. A Ponte disputou a Série B, mas como não entrou na briga do ascensão, não teve um final de campeonato tenso. O Noroeste não chegou a final da Série C e o Guará não disputou nenhuma das séries do Brasileirão. A esse fator, soma-se a manutenção as poucas mudanças no elenco e dai, se pode entender o sucesso dos times do interior no início do Paulistão.

Cada vez mais, o Paulistão deverá ser dos times pequenos, já que a tendência é que os times grandes usem o estadual como pré-temporada. O Paulista a cada ano tem menos charme e eu, a cada ano, sinto, mais e mais, saudades do Rio-São Paulo.

Um comentário:

odil disse...

Amorzinho, pare de ser doente, está afetando suas habilidades algébricas. Vamos lá: o último título que a porcada conquistou foi a Libertadores de 1999. Se estamos em 2008, portanto, são NOVE anos na fila. E não me venha com bazófias do tipo "ah, mas ganhamos a copa dos campeões (torneio seletivo com nome publicitário extinto há eras - alíás, campeões do que, cara-pálida, que nominho!!!) em 2000 e o brasileirinho em 2003. Fila é fila. Beijões alvinegros,

Odil