quinta-feira, 27 de março de 2008

Giro Verde

"No Palestra Itália, ecoa até agora o nome de Jorge Preá, autor do gol salvador (1 x 0 na Portuguesa) aos 48 minutos. O Palmeiras (10 jogos - 8 V, 6 seguidas - invicto no Paulista), praticamente classificado, curte a liderança pelo menos até esta noite. Mais até do que para os zagueiros adversários, Valdivia se transformou num problema para os árbitros. Incompetência, falta de critério e "aplicação eventual" da regra dão nisso. Após uma vitória como essa, o torcedor palmeirense está convencido de que há algo especial esperando por ele. E quem haverá de discordar?"
Do Blog do André Kfouri


"- Vamos ganhar, Porco!
Era o grito de todo o estádio palmeirense naquela que parecia ser a última bola do jogo. Quarenta e sete minutos de um segundo tempo duro como o clássico. Empate sem gols. A desfalcada Lusa toda atrás, segurando direitinho um Palmeiras de momentos de um futebol bonito como há muito não se via no Palestra, e de finalizações ruins e nervosas como tantas dos últimos tempos mais negros que verdes.O clássico iria até looongos 50 minutos. E foi dentro desse tempo que Leandro levantou no segundo pau, David cabeceou no travessão, Diego Souza jogou pra dentro da pequena área e Jorge Preá fez seu primeiro gol palmeirense, aos 47min59s. Um gol que o estádio cantou antes de a bola ser levantada da meia esquerda. Um gol que o torcedor palmeirense pareceu pressentir antes de a bola ser cruzada. Um gol que os torcedores dos grandes times parecem sentir (ou antever) como craques. Ou apenas por saberem que certos times vivem dias e jogos iluminados.Dias de craques. Não parecia haver uma torcida do palmeirense antes da falta. Parecia haver uma certeza no Palestra. O gol sairia naquele lance. Estava escrito nas oito estrelas do escudo que fica atrás daquela meta. Pressentimento confirmado com o toque redentor de Preá. Antecedido por uma comunhão emocionante da arquibancada com o time. Seguido de uma das mais tocantes celebrações vistas no Palestra, com jogadores, comissão técnica e torcida correndo cada um para um lado diferente. Ou melhor: todos para o mesmo lado. Para cima. Para o Palmeiras. Celebração de um time que ainda não está pronto. Mas que parece estar pronto para o que der e vier."
Do blag de Mauro Beting


"O Palmeiras não entrou no Palestra Itália como quem começa um dia de trabalho. O time foi a uma festa. Era essa a impressão da equipe quando a partida começou, com show de Valdivia. Até embaixadinha, com controle de bola na coxa, houve no Palestra Itália. Até que o jogo começou a pegar. A partir daí, Valdivia sumiu. Antes disso, houve um período do jogo em que o mais sério em campo, com a camisa verde-limão, era Léo Lima. Convenhamos, no dia em que Léo Lima é o mais sério, alguma coisa anda errado. O jogo pegou, Valdivia diminuiu seu ritmo e quem apareceu foi Diego Souza. Foi dele o passe para Alex Mineiro marcar, ou melhor, desperdiçar chance clara no início do segundo tempo. Mas foi dele também o passe, de cabeça, para o gol de Jorge Preá, centroavante indicado por César Sampaio, que brigou por todas as bolas nos quinze minutos em que esteve em campo. A raça valeu o gol e a liderança. Mas o jogo serve de alerta."
Do Blog do PVC


"Jorge Preá, jogador contratado meio a tantas desconfianças teve sua primeira aparição útil no Palmeiras, diante da Portuguesa, no Palestra Itália. Tudo bem que não era um gol difícil de se fazer, mas sim, de suma importância para o alviverde conseguir a classificação, com a magra vitória de 1 a 0. Apesar de não ter jogado bem, o gol aos 48 minutos deixou a torcida em êxtase. A equipe de Vanderlei Luxemburgo soma agora 34 pontos. A semifinal está muito próxima."
Do Blog do Lédio Carmona


"O Palmeiras teve o jogo nas mãos e o desperdiçou diversas vezes, principalmente, nos pés de Alex Mineiro em noite infeliz. Mas levou sustos que não planejava e ainda teve uma ajudazinha do árbitro, no segundo tempo, quando um gol da Lusa foi anulado numa inversão de falta na área palmeirense. O que não dá para entender é a festa que o torcedor alviverde faz para a inutilidade chamada Denílson. Mas, na vida, tem gosto para tudo. Seja como for, aos 48, Jorge Preá, que entrou exatamente no lugar de Alex Mineiro, fez o gol da vitória, o da classificação, numa noite em que o Corinthians perdeu e a Ponte Preta empatou. O Verdão acorda líder nesta quinta-feira e, se duvidar, dormirá líder."
Do Blog do Juca Kfouri

--
As manchetes do jogo:

O Estado de São Paulo:
Palmeiras: vitória no último Lance

Jornal da Tarde:
O Verdão está no topo

Folha de São Paulo:
Com gol no final, Palmeiras alcança liderança inédita

Diário de São Paulo:
Estrela brilha e Palmeiras é líder

Nenhum comentário: