domingo, 13 de dezembro de 2009

Reflexão

Sinceridade é ótimo, mas às vezes, é preciso saber como ser sincero. Um toque de sutileza é sempre bem-vindo.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Da série “Eu já sabia”

Um bom investimento
Deu no Filtro, hoje:

Ouro é novamente o mais lucrativo
O ouro voltou a ser a alternativa mais lucrativa de investimento em novembro. Após 12 meses sem ocupar a liderança, a rentabilidade do metal acumulou valorização de 14,91% em novembro. No ano, a valorização é de 8,25%. Segundo o Valor, a aplicação na Bolsa de Valores foi o segundo investimento mais lucrativo. Os fundos com recursos do FGTS em ações da Vale subiram 11,82% e os fundos da Petrobras tiveram um aumento de 10,38%.

Comentário: Depois que você começa estudar economia austríaca, o mundo fica previsível demais.


Um péssimo negócio
Também do Filtro:

Lei do gás deve mudar
Reportagem do jornal Valor afirma que o presidente da Bolívia, Evo Morales, elabora uma nova lei para regular o gás no país. A mudança acontecerá após a eleição presidencial do próximo domingo, que deve reeleger Evo. A estratégia seria uma forma de tentar atrair mais investimento privado. A expectativa do setor é de que o governo flexibilize as regras de operação e reduza a carga tributária sobre a exploração de petróleo e gás.

Comentário: São duas conclusões, na verdade. A primeira é que, aparentemente, o bolivariano Evo (seja lá o que signifique isso) começou a perceber que sem investimento privado, o gás da Bolívia não vai fazer com que todos os índios oprimidos fiquem ricos tal qual um americano médio. A segunda, mais pessimista, é que qualquer investidor que tenha um pingo de juízo, não deveria colocar um centavo num país que muda as regras do jogo ao sabor das conveniências do momento e cuja justiça tem menos poder que os chefes tribais indígenas.

Conclusão: só o mercado salva.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Sábias palavras

Do Blog do Fiúza

Você já viu esse filme. No que a eleição se aproxima, Lula, o filho do Brasil, começa a falar de fome. Vai dando nele um apetite danado.

O presidente brasileiro foi à FAO cuidar da sua imagem de bibelô internacional da miséria. Disse que foi retirante e que, quando chegou ao poder, encheu a barriga dos famintos com seus programas sociais. O mundo adora acreditar nessas fábulas.

Lula não matou a fome de um único brasileiro com seus programas sociais. Não há notícia de um só beneficiário do bolsa família que tenha deixado de passar fome por causa da mesada governamental. Não há indigentes com filhos matriculados e assíduos nas escolas.

Por que, nessas horas, Lula nunca fala do Fome Zero? Porque sabe que sua mágica populista era puro ilusionismo. Depois do vexame de inflar os números da desnutrição no Brasil, o presidente entendeu que o que encheu barriga dos brasileiros necessitados foi a política econômica – que ele herdou e da qual virou ortodoxo seguidor, embora insistisse na desonestidade intelectual da “herança maldita”.

Hoje, Ipea, FGV e demais instituições abduzidas pelo petismo espalham pencas de “estudos” sobre inclusão social, curiosamente sempre com corte temporal a partir de 2003. A vida melhorou com o presidente bonzinho, querem provar os acadêmicos de aluguel.

O que mais tirou gente da pobreza no Brasil nos últimos 15 anos (sim, o Brasil não começou há sete anos) foi uma coisa chamada política monetária – aquela que não sobe em palanque de Lula e do PT, primeiro governo da história a fazer oposição ao seu próprio Banco Central.

A esquerda gostava de acusar Pedro Malan de nunca ter recebido um pobre em seu gabinete. Esse nível de demagogia está intacto no discurso de Lula na FAO, acusando os governos de engordar o sistema financeiro e deixar o povo com fome. É aquele típico dilema entre ignorância e má fé.

Lula passou 20 anos dizendo que o país não pode pagar juro para banco enquanto houver gente faminta. Era a ética do calote. Conseguiu a proeza de abandoná-la no governo e mantê-la no discurso.

No auge da crise, chegou a dizer aos americanos que o Brasil podia dar aula de socorro aos bancos, porque já tinha feito isso com sucesso. Nesses tempos de copidesque da história (2003, ano zero), Lula quase vira o pai do Proer.

Com nova eleição no horizonte, fica cada vez mais claro que os famintos não precisam tanto de Lula quanto Lula precisa dos famintos.

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

A imprensa

Como jornalista, eu particularmente me incomodo com essa mania de perseguição que parte da torcida do Palmeiras tem em relação à imprensa. Tem muita gente que enxerga pelo em ovo e acha que a função do jornalista é elogiar - e não é. De qualquer forma, digamos que há certos veículos de comunicação que dão razão para essa picuinha da torcida.

Não, não vou falar da matéria da Placar. Porque muita gente já escreveu sobre isso. E porque não achei a matéria tão ruim assim, embora ouvir o Mustafá como fonte só mostra que ou o jornalista que a redigiu ou é burro ou cretino. Sim, porque um cara que acha que, antes de títulos, um time de futebol tem que dar lucro, é porque é burro ou desonesto. No caso do Mustafá, acredito que a hipótese mais provável seja a número dois.


Whatever, estou escrevendo esse post por dois motivos: pela manifestação da torcida do Palmeiras ontem, mandando a imprensa ir tomar bem naquele lugar, no final da partida e pelo Lance! nosso jornal diário esportivo.


Primeiro, quero deixar claro que considero o Lance um jornal sensacionalista, que estampa manchetes idiotas de propósito, só pra ter Ibope (vide a manchete "Gladiador da Fiel" que eles estamparam no início desse ano). Dai, já dá pra ver o tipo de jornalismo que o Lance faz. Mas a "bambinagem"do jornal nesses últimos dias tem passado dos limites. Além de forçarem a barra com esse papo ridículo de Jason, os caras não conseguem nem escrever um texto na internet que seja sem erros grotescos de português. Não sei se puseram o estagiário ou o faxineiro pra escrever, mas quando eu era trainee do Lance, meus textos tinham menos erros, com toda a certeza.



Vejam:






Então, vamos lá:
O jornal tem uma linha editorial sensacionalista;
Cria factóides idiotas só pra vender;
Torce descaradamente para um time;
E, ainda por cima, estupra a língua portuguesa sem dó nem piedade.

Quer saber?

Se a torcida do Palmeiras tiver um pingo de vergonha na cara, e se o Palmeiras for campeão, todos os palmeirenses deveriam não comprar um mísero exemplar desse jornaleco. Que todos os exemplares mofem nas bancas. Quem sabe assim, o dono desta espelunca consiga perceber que respeito é bom e todo mundo gosta.

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Entendeu?

Todos sabem que eu respeito muito o presidente do Palmeiras, Luiz Gonzaga Belluzo. E, ao mesmo tempo, só posso desprezar qualquer palpite, argumentação e teoria macroeconômica que o economista Luiz Gonzaga Belluzzo possa dar. Entendam o porquê:



Sem pé nem cabeça
Por Cristiano Fiori Chiocca para o Blog do Instituto Mises Brasil:

Recentemente o Ministro da Fazenda impôs IOF de 2% sobre a entrada de dólares.
Uma medida fadada ao fracasso; o dóar vai continuar caindo. Os defensores da medida não conseguiram, até agora, produzir um único argumento que a justificasse.

Porém, Luiz Gonzaga Belluzzo (aquele mesmo do abilolado Plano Cruzado) superou todos no non sense. Ao ser questionado, saiu-se com as seguintes respostas em uma curta entrevista no jornal Folha de S. Paulo. Tentem entender:

FOLHA - Qualquer intervenção no câmbio parte do pressuposto de que existe uma cotação correta e outra errada. Qual seria a correta?
BELLUZZO - Quando o dólar foi a R$ 2,50, estava muito bom para a maioria das empresas. O problema é que deixaram o real se valorizar.

FOLHA - De onde o sr. tira a convicção de que intervenções do governo no câmbio funcionam, a médio e a longo prazos?
BELLUZZO - Não funcionam? Eu não sabia. Então vai ver que é um problema de temperatura. Só não funciona nos trópicos, no Brasil. Só funciona nos climas temperados. É isso.


Nota do Blog: Belluzzo, por favor, concentre-se no Palmeiras, faça esse bando de vagabundos jogarem bola e ganharem o título do Campeonato Brasileiro pra gente. E pare de falar abobrinhas, por favor.

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Voltando do abandono

Sei que o blog está às moscas, mas estou absolutamente sem tempo para coisa nenhuma. Então, resolvi postar aqui um clássico do universo feminino. O dicionario de palhaços, retirado do blog Homem é tudo Palhaço.


Palhaço cristão - Ele sente culpa, muuuuita culpa. É capaz de trair a namorada, mas repete incessantemente que não se sente bem fazendo aquilo. Quer largar a mulher, mas não abre mão do trio propriedade-religião-família. Conhecido também como palhaço cagão.

Palhaço Biba - É aquele palhaço que não assume ser bicha. Ele é muito amigo do seu namorado e fica falando mal de você por aí. É o pior tipo. Bicha enrustida e ciumenta.

Palhaço Cadeia - É um aprendiz de palhaço. Apaixonado, dedicado, mas sempre palhaço. Afinal, homem que é homem é palhaço. Ele acha que relacionamento é cadeia: cada dia de bom comportamento vale uma palhaçada. São bonzinhos, portanto merecem crédito.

Palhaço Repetitivo - Como diria um motorista lá do DIA, esse é o famoso "tira o som e deixa só a imagem". Quanto mais tempo calado melhor. Tem a péssima mania de cantar mulheres com a mesma cantada e ainda pior, mulheres que se conhecem. Além de repetitivo é burro.

Palhaço Franklin Martins - É o palhaço metido a saber e comentar de tudo. "Homem não gosta de mulher tatuada" ... "Homem não gosta de mulher que bebe .." É metido a ser a pedra filosofal da masculinidade. Sabe de tudo, mas não come mulher nenhuma.

Palhaço Político - Esse só promete .."Vamos casar ...", "Vamos ter filhos ..." Não preciso dizer que tudo fica somente na promessa. Geralmente eles fogem na hora que o bicho pega.

Palhaço Número Um - (complete com o nome do palhaço do momento)

Palhaço Glenn Close - Tipo perigoso. Depois que você termina com ele, o bruto transforma sua vida num inferno. Faz ameaças, liga pra sua casa de cinco em cinco minutos, tem crises de ciúme .. todos lembram de "Atração Fatal", certo?

Palhaço Fantasminha - Ele some. Desaparece. Evapora Você está na boite, dá uma distraída e ele ... some. Tipinho sem classificação.

Palhaço literato - Ele costuma reescrever seus e-mails com palavras rebuscadas, lindas e de pouco uso. Meio cafona, apesar de bem intencionado.

Palhaço sem loção - Ele vê Robertinha na rua ou na boite já vai pedindo para entrar aqui no blog. Ah tá, né? Tá pensando que a vida é fácil? Vai ralar e fazer uma palhaçada!

Palhaço sexo oral - Promete que vai te comer em pé, deitada e de quatro, narra orgasmos incríveis, diz ser um amante sensacional mas tudo fica por isso mesmo. Blá, blá, blá e nada de coito.

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Blogue sua infância

Descobri que depois de uma certa idade, Dia das Crianças pode ser uma coisa muito chata. Ir às Lojas Americanas na véspera desta data e ter que aguentar crianças malcriadas que berram sem parar, pais que não sabem fazer os filhos se comportarem em público e "Lua de Cristal" com aqueles acordes típicos dos anos 80 e a voz irritante da Xuxa é algo realmente desagradável. Ok, talvez eu esteja sendo deveras ranzinza, mas me pergunto realmente como é que algum dia a Xuxa já fez sucesso. O problema não é a melodia lugar comum ou as letras clichês. O problema é a voz da Xuxa mesmo. Agora, pior que esta dúvida, é entender como hoje em dia ainda tem maluco que coloca uma porcaria destas de trilha sonora de uma loja. Preferia mil vezes RBD, Chiquititas ou Hanna Montana. E é sério isso.

De qualquer forma (e independente do mal gosto musical alheio), hoje é dia das crianças e eu consigo lembrar de inúmeras coisas da minha infância. Um tem a ver com a famigerada apresentadora infantil. Eu devia ter uns cinco anos e um prefeito engraçadinho resolveu fazer o povo de palhaço. Contratou uma "Xuxa Preta" para um show do dia das Crianças. Só esqueceu de avisar que a cantora era uma cover bronzeada. E lá fui eu para o Ginásio achando que iria ver a Xuxa cantar ao vivo (ok, eu tinha 5 anos e naquela época, acreditava que a Xuxa poderia ir em Glória de Dourados, 10 mil habitantes, no interior do Mato Grosso do Sul). Sim, imaginem minha decepção...

Acho que foi por conta desse episódio que deixei de gostar da Xuxa e passei a gostar da Angélica. E quase quebrei a casa inteira para ganhar uma fita K7 da outra loira, o que vinha com o hit "Vou de Táxi". É, tenebroso e vergonhoso, mas dêem um desconto, eu tinha 6 anos.

Da minha infância também lembro dos livros da Agatha Christie. Quando li "O mistério do trem azul", eu tive certeza que seria escritora quando crescesse. Devorei todos os livros dela e fiquei viciada em romances policiais. Hoje, não tenho tal pretensão, mas talvez tenha ficado no inconsciente a vontade de ser escritora (coisa que nunca vai acontecer, como os nobres leitores podem perceber lendo esse blogue, o talento passou longe de mim).

Uma passagem muito marcante na minha vida foi a cadeirada que eu quase dei em um colega de escola quando estava na quinta série. Eu estudava numa escola pública e nem todos os assentos tinham encosto, o que fazia com que nós, alunos, brigássemos literalmente por uma cadeira. Eu tinha um colega de classe, o Jefferson Tubarão, que sentava atrás de mim e era um mala sem alça de marca maior. Uma vez, eu peguei a cadeira e ele tentou tomar de mim. Eu puxei con tudo e só não dei na cabeça dele porque a professora impediu. Por conta dess episódio, o Jefferson fez um boicote e pediu que nenhum menino fosse à minha festa de aniversário de 11 anos. O boicote deu em parte certo: apenas um colega foi à minha festa. A parte boa é que o menino em questão era o Henrique (um ótimo amigo até hoje), que, na época, era o menino mais bonito da classe. Não que eu ligasse pra ele, mas só de poder chegar no outro dia na escola, virar para o Jefferson e falar: o Henrique foi na minha festa, tive um prazer à época que facilmente poderia ser comparado a um orgasmo hoje em dia. Um adendo: esse colega mudou de cidade um ano depois. Só o vi novamente uns cinco anos atrás, durante férias da faculdade. E não é que o menino ficou gato?

Voltando a minha infância, também me lembro de passar minhas tardes de verão no Caiçara, o clube da minha cidade, tomando banho de piscina, jogando videogame e suspirando pelo Márcio, meu primeiro amor. E sendo alvo de risadas de todo mundo, porque não bastava eu ser muito feia, ainda fui gostar de um cara mais feio ainda que não me dava bola. É, acontece... De qualquer maneira, as tardes de verão no Caiçara eram ótimas.

Da minha infância lembro ainda da Renata, que hoje é uma grande amiga, fazer com que toda a escola parasse de conversar comigo, porque passei cola para uma menina que era "do sítio" e que ela não gostava. Foram meses sendo rejeitada por todos, que riam e me chamavam de gorda nerd. Sim, crianças são ruins, malvadas e não têm o menor peso na consciência.

Por outro lado, lembro de andar de patins junto com a Daniela e o Neto. os dois eram meus vizinhos e tínhamos a clássica relação de amor e ódio que todas as crianças têm. A gente brigava, ficava de mal, inventava apelidos estapafúrdios uns para os outros e, dali a pouco, estávamos todos brincando juntos novamente. Devo muitas recordações a estes dois. O Neto tinha um SuperNintendo e foi graças a ele que eu conheci Mário, Street Fighter e Mortal Kombat. Também devo agradecer à Dani pelas tardes infinitas brincando de casinha na casa dela.

Voltando à Renata e acrescentando a Nicole ao relato, eu tive uma fase muito boa com essas duas. Vivíamos na casa da Nicole (que tinha todos os briquedos que todo mundo sonhava e queria) brincando lá. A desculpa, claro, era fazer tarefas escolares (não consigo entender como pais acreditam nisso). E pulávamos elástico.

Aliás, brincar de elástico era regra no recreio da escola, assim como responder os cadernos de pergunta (que, na verdade, era desculpa pra tentar descobrir quem gostava de quem). outra coisa divertida era mexer com os loucos da cidade. Tinha um cara, que vivíamos chamando de professor linguiça e saíamos correndo do homem, coitado. Também tinha a Fátima doida. e o Primo Ramo. Personagens inesquecíveis da infância de qualquer pessoa que foi criança em Glória.

Outra pessoa que hoje é muito minha amiga mas me infernizava quando eu era criança é a Cássia. A Cássia implicava com meus vestidos rodadinhos e vivia mexendo comigo quando eu passava perto da casa dela. Ela me achava "mocoronga". Talvez ela tivesse razão, mas pelo que me lembro, a recíproca era verdadeira.

Uma coisa que me lembro da minha infância é que eu achava todo mundo burro e tinha plena consciência que jamais seria a menina mais popular da escola. Mas eu me considerava mais inteligente que 90% das pessoas (menos a Renata) e talvez era um tanto quanto introspectiva devido a esse desprezo intelectual que eu tinha do resto do mundo. Ou talvez isso era só uma válvula de escape para eu compensar o fato de que não era linda e nem tinha os brinquedos mais desejados. De qualquer forma, eu me divertia muito e era feliz.

A parte mais legal de tudo é ver o quanto tudo isso te influencia hoje. Sem dúvida nenhuma, todas essas situações moldaram meu atual caráter. E eu tenho que agradecer a todos os amigos de infância. Eu fui uma criança feliz e sou uma adulta muito melhor por tudo isso.Momento ruins ou bons, eu só quero aproveitar esse dia para agradecer aos meus amigos. Que hoje também são adultos, que são ou não meus amigos. Mas que serão eternamente presentes na minha vida.

Feliz Dia das Crianças para todos!
Mas, please, eduquem bem seus filhos. Odeio criança birrenta e escandalosa. Exatamente por não ter sido uma.

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Ok...

Sim, eu preciso atualizar esse blog.
Não, agora não dá.


Novidades no feriado.
Aguardem.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

A choradeira (duplamente) bambi começou

Não teve jeito: com cinco pontos à frente de Goiás e São Paulo e seis à frente do Inter, o Palmeiras definitivamente virou o alvo dos adversários.

Como muito já se falou da vitória de sábado, hoje quero comentar duas declarações dadas na imprensa, pelo volante Richarlysson, do São Paulo, e pelo vice-presidente de futebol do Inter, Fernando Carvalho. Vejamos as declarações:

"O futebol pune muitas coisas. Se pegar o jogo entre Palmeiras e Atlético-PR, foi um pecado. O Palmeiras fez seus gols em um chutão e em uma bola parada. Depois, o Danilo ainda tirou uma bola em cima da linha". (Richarlysson)

"Um dia o Palmeiras vai pagar. Ontem (sábado) mesmo, foi uma injustiça aquela vitória sobre o Atlético-PR. Eles têm vencido jogos no detalhe, e o detalhe pode acontecer também ao contrário. Por isso, nossas chances ainda são boas. Agora, temos de nos recuperar desse empate em casa vencendo o Coritiba no Couto Pereira". (Fernando Carvalho)

Sentiu o tom de recalque, dor de cotovelo e inveja? Parece discurso orquestrado. Sempre querendo desmerecer as vitórias do Palmeiras, sempre querendo por em dúvida o futebol do time e a legitimidade das nossas vitórias (como foi no jogo contra o Cruzeiro, que reclamaram de 900 pênaltis não marcados).

No caso do volante são-paulino, eu fico me perguntando se esse comentário é decorrente da falta de vergonha na cara ou da falta de mémoria mesmo. Afinal, o São Paulo ganhou 3 brasileiros jogando na retranca e fazendo gols via chuveirinho na área. Sobre o Fernando Carvalho, além dele ter descoberto a América (o futebol se ganha nos detalhes, ó), só posso dizer que ninguém tem culpa se eles têm um técnico incompetente.

Mas é aquela coisa... Deixa falar. Enquanto eles reclamam, choram, fazem birrinha, a gente vai se isolando cada vez mais na liderança.

Doze jogos para o título! Vai Palmeiras!

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Salto, mais que alto...

A Sociedade Britânica de pedicuros e podólogos propôs uma medida que está dando o que falar na Inglaterra. Com o argumento de que "se deve proteger a saúde das mulheres", eles querem proibir o uso de salto alto no trabalho. Não, você não leu errado: eles querem realmente proibir o salto alto. Segundo a tal associação (que já conseguiu apoio dos médicos britânicos), esse tipo de sapato causa problemas no próprio pé, no joelho e na coluna. E esses riscos são potencializados quando a mulher usa um sapato extremamente desconfortável só em nome da beleza. Segundo a porta-voz da tal sociedade, a ação dará às mulheres "direito de escolha": "Há mulheres que são obrigadas por seus empregadores a usar salto alto como parte do código de como se vestir no trabalho".

Por partes: primeiramente, em nome de uma minoria de setores que exigem o uso do salto alto, como o de aviação, por exemplo, quer se aplicar uma proibição geral. Sempre usando argumentos tidos como humanitários (a associação só quer ajudar as mulheres a terem mais saúde), se proíbe algo que soa tão ridículo quanto a proibição que alguém use roupa preta num país quente porque ela absorve calor e pode fazer a pessoa passar mal, por exemplo (espero que nenhum defensor da minha saúde leia isto e resolva colocar esta proposta em prática). Segundo, a medida simplesmente ignora o direito da escolha da mulher.

Quando alguém vai trabalhar em uma empresa, conhece de antemão as regras que é preciso cumprir para se tornar colaborador. Por isso, quando uma aeromoça opta por ter que usar saltos altos em troca de seu salário, ela toma essa atitude porque sabe que os benefícios que terá tendo aquele trabalho podem compensar os eventuais problemas de saúde que ela poderá ter por usar salto durante o expediente. A Sociedade Britânica simplesmente esquece-se de que as mulheres que usam salto, usam porque escolheram voluntariamente aquela profissão. Se elas realmente se sentirem incomodadas, elas podem tentar negociar a mudança na regra ou simplesmente procurarem outro emprego.

Por último, gostaria de lembrar que grande parte das empresas de médio e grande porte, como é o caso das companhias aéreas, costumam oferecer planos de saúde para seus funcionários. Por isso, uma funcionária que eventualmente tenha algum problema de saúde decorrente do uso do salto alto poderá utilizar o plano de saúde subsidiado pelo empregador para custear seu tratamento.

Resumindo, essa medida é mais uma atitude totalitária travestida de argumentos solidários que visam proteger as pessoas delas mesmas, ignorando as escolhas individuais de cada pessoa.

Não adianta surtar...

A rodada só acaba a meia noite.

O campeonato só acaba em dezembro.

E homem só fica com uma mulher se ele gostar dela e ponto.

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O tempo passa para todos...


A Barbie aos 50 anos...


sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Sem querer ser chata, mas...

Depois tem gente que reclama que torcedor é mala, blá, blá, blá. Eu concordo que torcedor é uma raça muito chata, mas tem gente que pelamor de Deus, pede pra ser xingado.

Quem?

O Lance, claro.

Entro na página do Palmeiras no Lancenet e me deparo com as seguintes manchetes:

"Edmílson se esquiva de poêmica com K9"
"Muricy: pior aproveitamento em 2009".
"Verdão vê erros na defesa só como lapso"
"Muricy treina passes à exaustão na academia".

Oi? Estamos a pontos de sermos rebaixados, é isso? Ou somos os líderes do campeonato e a má vontade + falta de criatividade + falta de cérebro do editor de página leva o sujeito e colocar esse monte de manchete negativa?

Enquanto isso, na página rosa... "Tricolor Jason prepara mais uma vingança".

Jesus me chicoteia!!! É sério!!! Não é inveja, dor de cotovelo, nem nenhum mimimi que os bambis adoram, mas oi? Isso é um jornal ou um blog bambi?

Repito: sem querer ser chata, mas já sendo, digo: o Lance é um lixo!!!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

MPA - Mídia Palestrina Alternativa

Eu sou favorável a uma mídia palestrina alternativa. E vou explicar por que.

Há tempos atrás, surgiu um movimento na internet de blogs independentes que procuravam mostrar notícias, opiniões e análises do Palmeiras com toda a subjetividade e criticidade que só o torcedor do Palmeiras sabe passar. O negócio foi crescendo e acabou sendo nomeado Mídia Palestrina. Era a salvação para o torcedor que não suportava mais as opiniões gambás, bambis e sardinhescas da mídia tradicional. Incluindo a dos jornalistas palmeirenses que, sem excessão, todos já foram xingados por todos os torcedores (incluindo eu mesma) de gambá, bambi, etc, etc.

Whatever, sei que, um dia, a Mídia Palestrina viu seus sonhos serem realizados. O Palmeiras finalmente se livrou de uma era de morte e escuridão e foi salvo pelo Belluzzo (que está fazendo uma boa gestão, apesar dos tropeços no início, diga-se de passagem).

E ai é que a coisa toda perdeu a graça.

Agora, todos se engalfinham por seu naco de poder. Eu entro na Mídia Palestrina e só vejo os blogueiros se acusando mutuamente, se xingando e todo aquele mimimi básico. Acontece que a diretoria do Palmeiras e a nossa atual patrocinadora resolveram abrir espaço para um diálogo direto com alguns sites da MP. E como não se estabeleceram regras claras, a casa caiu. As reclamações são de todos os tipos. Já vi blogueiro reclamar que não teve acesso a salas de imprensa, enquanto outros tiveram; já vi blogueiro reclamar de que não foi convidado para o evento X ou Y e o cicraninho foi. E blá, blá, blá, blá, blá.

Como eu disse há um certo tempo atrás, essa vida de jornalista não é fácil. Se você quer ter amigos, mude de profissão. Eu mesma mudei de área, porque conclui que ficar sendo xingado permanentemente por colegas de profissão, cartolas, jogadores, torcida e o escambau a quatro é só pra quem tem MUITA paciência. O que não é o meu caso.

Muita gente torceu o nariz para mim quando disse que achava errado um blogueiro (aquele que emite opiniões, não escuta os dois lados e é parcial) se considerar jornalista. Continuo achando porque tenho uma opinião muito clara sobre o que é jornalismo. Anyway, vejo que essa mistura de "penso que sou jornalista" + "preciso de carinho, amor, atenção e pessoas puxando o meu saco" vai foder de vez com tudo. Essas briguinhas por credenciais e convites mostram claramente isso.

Quem perde?

Bom, eu perco. Dos mais de cinco blogs que eu lia diariamente há um ano, estou lendo apenas um. Porque eu simplesmente não tenho saco pra ler os outros. Porra, tá certo que perdemos, mas o Palmeiras é líder e o povo fica brigando? Não, eu não consigo entender. E como não posso obrigar ninguém a mudar de postura, eu simplesmente paro de ler o que acho chato. Basicamente isso.

Sei que posso ser uma minoria entre os palmeirenses que dão audiência à MP. Até porque tem gente que simplesmente adora um barraco e pronto. Eu mesma faço a mea culpa e confesso que já contribui para um barraco daqueles na MP (embora não tenha sido a intenção e eu continue achando que blog é diferente de jornalismo em 99% das vezes). Acho que errei na maneira como expus minha opinião, embora eu a sustente hoje para qualquer um. Enfim, o que quero dizer é que essas brigas todas entre pessoas que querem a mesma coisa (o Palmeiras campeão) é muito chata e não contribui com nada. Essa postura beligerante só traz mais confusão e por isso, sou favorável a uma Mídia Palestrina Alternativa com bom humor, rock 'n roll e muitos posts enviados diretamente do bar da piscina, com todo mundo escrevendo de biquíni e sunga enquanto toma uma cerveja gelada.

Ok, isso nunca vai acontecer. Mas tenho certeza que se a minha proposta se concretizasse, a MP voltaria a ser muito mais divertida. Assim como era antes.

Porque aqui é Palmeiras, caralho, não o blog X, Y ou Z. Tá?

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Entendendo o Capitalismo

CAPITALISMO IDEAL
Você tem duas vacas. Vende uma e compra um touro. O rebanho se multiplica, você faz os investimentos necessários em saúde e a economia cresce. Você vende parte do rebanho e investe em novos empreendimentos, gerando emprego, riqueza e renda.
-------------------------------
CAPITALISMO AMERICANO
Você tem duas vacas. Vende uma e compra um touro. O rebanho se multiplica, você faz os investimentos necessários em saúde e a economia cresce. Você vende parte do rebanho e investe em novos empreendimentos, gerando emprego, riqueza e renda.
Ao se aposentar tem a uma aposentadoria digna que lhe permite usar sua experiência em causas sociais e voluntárias.
-------------------------------
CAPITALISMO FRANCÊS
Você tem duas vacas. Entra em greve porque quer três.
-------------------------------
CAPITALISMO CANADENSE
Você tem duas vacas. Usa o modelo do capitalismo americano. As vacas morrem. Você acusa o protecionismo brasileiro e adota medidas protecionistas para ter as três vacas do capitalismo francês.
--------------------------------
CAPITALISMO JAPONÊS
Você tem duas vacas, né? Redesenha-as para que tenham um décimo do tamanho de uma vaca normal e produzam 20 vezes mais leite. Depois cria desenhos de vacas chamados Vaquimon e os vende para o mundo inteiro.
-------------------------------
CAPITALISMO ITALIANO
Você tem duas vacas. Uma delas é sua mãe, a outra é sua sogra, maledetto!!!
-------------------------------
CAPITALISMO BRITÂNICO
Você tem duas vacas. As duas são loucas.
-------------------------------
CAPITALISMO HOLANDÊS
Você tem duas vacas. Elas vivem juntas, não gostam de touros e tudo bem.
-------------------------------
CAPITALISMO ALEMÃO
Você tem duas vacas. Vende uma e compra um touro. O rebanho se multiplica, você faz o pagamento de altos impostos, o governo presta bons serviços na área da saude e controle e a economia cresce. A vaca produz leite pontual e regularmente, segundo padrões de quantidade, horário estudado, elaborado e previamente estabelecido, de forma precisa e lucrativa. Mas você o que você queria mesmo era criar porcos.
--------------------------------
CAPITALISMO RUSSO
Você tem duas vacas. Conta-as e vê que tem cinco. Conta de novo e vê que tem 42. Conta denovo e vê que tem 12 vacas. Você pára de contar e abre outra garrafa de vodca.
-------------------------------
CAPITALISMO SUÍÇO
Você tem 500 vacas, mas nenhuma é sua. Você cobra para guardar a vaca dos outros.
-------------------------------
CAPITALISMO ESPANHOL
Você tem muito orgulho de ter duas vacas.
-------------------------------
CAPITALISMO PORTUGUÊS
Você tem duas vacas... E reclama porque seu rebanho não cresce...
-------------------------------
CAPITALISMO CHINÊS
Você tem duas vacas e 300 pessoas tirando leite delas. Você se gaba muito de ter pleno emprego e uma alta produtividade. E prende o ativista que divulgou os números.
-------------------------------
CAPITALISMO HINDU
Você tem duas vacas. Ai, de quem tocar nelas.
-------------------------------
CAPITALISMO ARGENTINO
Você tem duas vacas. Você se esforça para ensinar as vacas a mugirem em inglês... As vacas morrem. Você entrega a carne delas para o churrasco de fim de ano ao FMI.
-------------------------------
CAPITALISMO BRASILEIRO
Você tem duas vacas.
Uma delas é furtada. A Polícia Técnico-científica encontra os vestígios necessários para apontar o culpato, mas o Ministério da Justiça liberta o indiciado, pois um é petista, outro do MST e outro pertence as FARC, justificando o furto ter sido realizado por razões ideológicas aprovadas pelo Foro San Pablo.
O governo cria a CCPV - Contribuição Compulsória pela Posse de Vaca. Um fiscal vem e lhe autua, porque embora você tenha recolhido corretamente a CCPV, o valor era pelo número de vacas presumidas e não pelo de vacas reais. A Receita Federal, por meio de dados também presumidos do seu consumo de leite, queijo, sapatos de couro, botões, presume que você tenha 200 vacas e, para se livrar da encrenca, você dá a vaca restante para o fiscal deixar por isso mesmo...

A hipocrisia de Lula

Quando estava na faculdade precisei, certa vez, fazer um trabalho sobre um livro do Washington Novaes. Neste livro, havia uma frase que jamais me esquecerei e que sempre me vem à mente quando leio jornais. "Os políticos precisam aprender a conviver com críticas".

Diferente do que parece ser um consenso, para mim, o presidente do Brasil, Lula, não tem nada de democrático. Ele até respeita as instituições democráticas, mas apenas porque agir diferente seria prejudicial à imagem dele. As constantes declarações tentando desclassificar qualquer pessoa ou grupo que tente protestar contra suas ações é um claro exemplo de como nosso presidente não suporta ser contrariado.

Faça-se um parêntese: eu não acredito na democracia. Para mim, ela é a ditadura da maioria que oprime quem pensa diferente e ponto. Além do que, as massas costumam ser papagaios de pirata sem opinião formada que apenas repetem o discurso mais sedutor e ponto. No caso do Brasil, seguem aquilo que Lula fala.

Hoje estava lendo a Folha quando vi a matéria sobre o protesto promovido em Roraima em razão da visita do presidente. O contexto: Um grupo de pessoas que foram despejadas do latifúndio "Raposa do Sol"tentavam protestar contra a expulsão deles do local, jogando ovos no presidente. Confesso que quase tive vontade de parar de ler o jornal quando vi o Lula dizendo que "quem leva ovo pra tacar não é trabalhador, é que tem dinheiro pra comer outras coisas, porque trabalhador come ovo em lugar de jogar nas pessoas".

Ou seja: o nosso presidente tentou desclassificar à ação segundo termos pregados pela própria cartilha do PT, tentando dar a entender que quem pode jogar um ovo fora é "burguês", logo, não tem legitimidade para protestar. Ou seja: se você não é um morto de fome, você não pode protestar.

Nessas horas, gostaria de ser repórter e perguntar ao Lula o que ele acha dos inúmeros protestos realizados pelo MST, Via Campesina, grupos indígenas, radicais de esquerda que: 1) tacaram fogo em milhares de hectares de plantação, desperdiçando comida que poderia servir de comida ao povo; 2) quebraram centro de pesquisam que geravam empregos; 3) depredaram universidades públicas, que são sustentadas com o dinheiro de todo mundo, inclusive do trabalhdor coitadinho que não tem onde cair morto. Será que nesses casos, de protesto promovidos por grupos ligados ao PT e ao governo que está ai, Lula também tentaria desclassificar os protestos tal como fez em relação à ação em Roraima?

Hipócrita.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Post sem acento

Os acentos se foram. O computador foi formatado, tudo se apagou. Inclusive os acentos. Eu nao tenho como acentuar a palavra nao. Meu eh tem um H em lugar do acento. Acabou a ilusao de que era possivel escrever sem acentos. Porque os acentos se foram, e nada vai mudar isso. A menos que se apague os acentos da minha memoria, para que esqueca completamente que um dia eles existiram, os acentos continuarao a martelar na minha cabeca. Nao ha acentos. E eu nao sei o que fazer.

Porque os acentos eram a pureza, a prova de que tudo poderia ser correto, que tudo seria sempre lindo. Mas os acentos se foram e ficou a verdade nua e crua: as palavras sem acentos existem: desfiguradas. A vida sem acentos eh torta, perigosa e imprevisivel. Mas eu nao tenho mais acentos. Soh me restam as palavras desfiguradas que mostram a essencia exotica de tudo.

Eu nao tenho acentos. Tem algo errado com isso. Eu preciso entender porque os acentos se foram. Eu preciso entender como faco para tocar minha vida, sem acentos. E o que fazer com as palavras que restam...

São Pedro está lavando o céu com torneira de bombeiro

Muita gente não entende como eu, uma matuta do inteiro do Mato Grosso do Sul, que viveu mais da metade da vida numa cidade de 10 mil habitantes, pode viver em São Paulo - e adorar a dor e a delícia que é a vida nesta cidade.

Eu sei que é confuso e muitas vezes, eu mesma me pergunto que diabos faço aqui. Principalmente em dias como hoje, com muita chuva - mas MUITA CHUVA MESMO. O melhor comentário para definir São Paulo hoje eu vi no twitter - e é o título desse post. O clima daqui é mais instável que meu humor durando a TPM, o que te faz ter que carregar guarda-chuva, blusa de frio e de calor, para se prevenir das mudanças repentinas vindas do céus, diariamente.

Apesar de esse ser um fator que me irrita muito por estas bandas (afinal, minha rinite fica aqueeela coisa), confesso que o trânsito é algo que me faz ter vontade, sometimes, de me enfiar no meio do mato. Hoje, graças ao oceano que desabou dos céus, promete ser um dia daqueles - e a Iguatemi já deu a amostra de que devemos bater fácil os 150 km de congestionamento na volta para casa.

Hoje, uma da tarde, resolvi me arriscar a sair do escritório para comprar alguma coisa - qualquer coisa - para comer. Estava desabando o mundo e meu guarda-chuva, infalível, me salvado de ficar completamente molhada. Ao sair do prédio, aquele barulho INFERNAL: buzinas de diferentes tons, intensidades e altura se alternando num cruzamento completamente parado e sem qualquer perspectiva de mobilidade em curto prazo.
Para quem não é de São Paulo, esse relato pode parecer insano ou simplesmente surreal. Para quem mora aqui, é parte do cotidiano. O paulistano perdeu completamente a indignação diante de algo que parece tão absurdo para o resto da população brasileira.

Caminhando, eu confesso que mais do que o trânsito - que ainda me assusta deveras, mas estou começando a não considerá-lo o fim do mundo - o barulho das buzinas é algo chocante e absurdo. Não consigo entender qual é a causa, motivo, razão ou circuntância que leva pessoas aparentemente normais a ficarem freneticamente apertando oa buzina do carro, sabendo que ao executar esta ação, absolutamente nada de diferente irá acontecer. Ou, de maneira mais clara, com buzina ou sem buzina, o trânsito continuará parado.

Sei que muitos podem alegar que isso é uma terapia - na vontade de descontar em alguém/alguma coisa a raiva pelo trânsito caótico originário da soma de excesso de carros + chuva + inércia governamental, é preciso descontar a raiva de alguma maneira. E viva a buzina!

Pode ser coisa de matuta do interior, mas continuando achando que essa forma de protesto/alívio de stress é tão ineficiente quanto as ações governamentais para melhorar o trânsito em São Paulo. Aliás, a única coisa que realmente melhorou o trânsito em São Paulo foi a gripe suína, que adiou a volta às aulas da molecada. Como aqui não é a Nova Zelândia e não dá pra ter aulas apenas nos dias 31 e 32 de fevereiro (essa piada só quem for do tempo da TV Colosso vai entender), o jeito é encontrar uma solução alternativa que dê uma aliviada no stress da turma que está ao volante - já que melhorar o trânsito parece algo tão plausível quanto quanto passar as próximas férias em Júpiter). Qual, eu não sei dizer, mas pensei em algumas coisas e gostaria de ouvir a opinião dos leitores deste blog. Vamos a elas:

1) Distribuição de cervejas "de grátis" nas ruas e avenidas mais congestionadas;
2) Distribuição de vibradores para meninas e bonecas infláveis + DVD portátil + filme pornô para os meninos;
3) Distribuição de bolsa-helicóptero, para que parte da população se desloque pelo céu;
4) Dsitribuição do vale-puteiro para que boa parte da população masculina retarde a volta para casa;
5) Distribuição do bolsa-happyhour, para que parte da população fique bebendo no bar e pegue o trânsito depois da hora do rush;
6) Obrigar os fabricantes de automóveis a incluirem como item de série um dispositivo que solta gás de pimenta toda vez que alguém aperta a buzina mais que duas vezes por minuto.

Bom, estas foram algumas soluções que pensei. Porque é muito, muito, muito, muuuuito chato ficar ouvindo esse povo buzinando desesperadamente. Não há humor que suporte esse povo que só sabe apertar a buzina. Definitivamente, pior que qualquer coisa em São Paulo, é esse monte de gente que não para de buzinar e que quase me fazem gostar das vuvuzelas da África do Sul.

A matuta do interior se acostumou com tudo na cidade grande e divertida: trânsito, poluição, violência, grandes, distâncias, etc. Só não se acostuma com a falta de educação dos motoristas que acham que vão separar as águas do Mer Vermelho (ou abrir uma passagem no meio do congestionamento) apertando as malditas buzinas que só fazem piorar o barulho na cidade e irritar até quem está apenas caminhando e tentando não se estressar com a infra-estrutura caótica da maior metrópole do Brasil.

domingo, 6 de setembro de 2009

Ainda líder...

Mais uma rodada, nenhum asterisco na tabela, nada mudou. Palmeiras líder e cada vez mais jogando no estilo Muricy. Sufoco, dois gols cagados e vitória. Mais três pontos na tabela e liderança garantida.

Agora só faltam 15 jogos para o título. Simples assim. E terminou por aqui dizendo que tudo conspira ao nosso favor. Só deixaremos de ser campeões se quisermos.

Vai, Porco!!!

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

A melhor definição sobre o que é um Deus Grego que já vi






Saki Rouva, cantor grego, eleito o homem mais bonito do mundo.
Nota do blog. Me dá fôlego, Jesus!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Questão de vestibular

As afirmações abaixo foram feitas pelos gênios do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o IPEA, órgão que realiza estudos para definições de "políticas econômicas", que definirão o futuro do Brasil.
- Poupança é sempre ruim;
- Fazer poupança é deixar dinheiro embaixo do colchão;
- Emissão de papel moeda não causa inflação;
- Crédito é uma coisa, poupança é outra;
- É suuuuper normal criar dinheiro dinheiro do nada e isso faz muito bem;
- Devemos ter reservas de produtos "estratégicos" para combater a inflação;
- Bolhas são normais e inerentes ao "capitalismo";
- A crise é culpa do "sistema" e ela só não acabou com o mundo graças ao governo;
- Um setor privado forte precisa ter um governo forte.

Diante das afirmações acima, assinale a alternativa correta:
( ) A turma do Ipea faz inimigos bebendo leite;
( ) Puseram cachaça na água do palestrante;
( ) A diretoria do Ipea estudou economia pelo Instituto Universal Brasileiro;
( ) É por isto que o Brasil é esta merda
( ) Todas as alternativas anteriores.

A grande besta do Apocalipse

(ou, uma piada interna sobre regulação x liberdade)

A grande besta do Apocalipse já está na terra e o adoramos desde 1930. Seu nome é John M. Keynes e ele é o grande responsável por todas as merdas que tem acontecido na economia nos últimos 80 anos.

Assim como diz o apocalipse, Lorde Keynes se transformou no grande mentor de todos os líderes políticos. Sua teoria de intervenção estatal que ajudou a impulsionar consideravelmente os ciclos econômicos, criando bolhas que inflam e desinflam cada vez mais em curtos períodos, está levando o mundo para o apocalipse financeiro, por meio da sua promessa falsa, típica do capeta, de felicidade sem riscos ou responsabilidades.

Lorde Keynes é a reencarnação do mal, do capeta, ou seja, de Marx. Aliás, Keynes é a versão "lulinha paz e amor" de Marx. Mas, não se enganem. No fundo, ambos só querem a dor e o ranger de dentes na terra. Sua estratégia, assim como fizeram com Jesus Cristo, se resume em desqualificar o salvador, acusá-lo de ser o traidor que quer destruir todos.

Mas, assim como jesus, a liberdade, que foi crucificada, dando sua vida por toda a humanidade, ressucitará e salvará o mundo dos pecado intervencionistas.

O mal não vencerá. E aqueles que não estão com Jesus, perecerão junto com a besta e o anti-cristo no quinto dos infernos.

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Ta tudo bem, tá tudo bem...

Palmeirenses do mundo inteiro, como é delicioso o sabor da liderança. Sim, o jogo ontem foi horrível de se ver. Mas, como diria o "intelizente" Galvão Bueno, o melhor resultado depois da vitória é sempre o empate. E, está na cara, o Muricy jogou para empatar. E conseguiu o que queria.

Na pior das hipóteses, vamos ficar com um ponto a mair que o Inter, que pode chegar a 40 pts se vencer o Atlético-MG. Mas, não custa nada secar os colorados e torcer por um empate nesse jogo, o que nos daria uma folga maior.

Ok, o torcedor mais pessimista pode pensar: nas últimas 6 rodadas, conquistamos 7 de 18 pontos. Sim, é verdade. E continuamos líder. Quer sinal melhor? Fomos bem nos confrontos diretos e vacilamos em quatro jogos bobos. O Palmeiras está com sorte de campeão, meus caros.

Com a chegada do Wagner Love, o nosso ataque deve melhorar substancialmente. Assim, acredito, esses empates bobos contra times que jogam com 900 zagueiros e 500 volantes devem passar a ser vitórias a nosso favor - tal qual no Campeonato Paulista. É claro para mim que o Palmeiras, finalmente, aprendeu a jogar campeonatos de pontos corridos. E, se valer a premissa dos últimos anos em que time do Muricy quando chega a liderança não sai mais, é isso ai: vamos apoiar, torcer, sem cornetagem, que muito dificilmente perdemos esse caneco.

Não seria de todo mal se chegassem mais uns reforços hoje - um zagueiro, um meia. Anyway, dá pra ser campeão brasileiro de novo, nação palestrina.

E aqui, vamos ressaltar algo muito importante: ponto pra administração Belluzzo que, se vacilou no início, agora tomou as rédeas bonitinho do futebol. E é isso que nós, palmeirenses, esperamos dos dirigentes do clube.

Por isso, parabéns Belluzzo & diretoria de futebol, por resgatarem e toda a torcida, o orgulho de ser PALMEIRAS.

domingo, 30 de agosto de 2009

Aquecimento



Vai, Porco!!!

Ps. A voz de mulher cantando é minha. Esse vídeou foi gravado no jogo Palmeiras 1x0 Santo André.

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Bom começo

Saiu um papo de que um grupo de mulheres, revoltadas com a homossexualidade masculina, protestariam de uma maneira inusitada: confeccionando camisetas com a frase "Eu também tenho cu" e iriam em eventos gays. Bom, ter é uma coisa, liberar é outra, mas não é sobre isso que quero falar. Eu só queria mesmo dar uma dica. Se o protesto for de verdade, achei a primeira pessoa para qual as moças revoltadas com a homossexualidade masculina deveriam apresentar o buraco. Vejam o vídeo.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Twitadas que fazem eu rir de mim mesma - da semana

Camisa do Palmeiras autografada pelo César Maluco. Essa eu não lavo nunca mais.
Nunca fiz muito sucesso com os meninos de Glória. Depois de uma adolescência de insegurança, cheguei a conclusão de que eles têm mau gosto.
Gente, o bom do Twitter é que ele me faz ter certeza como 80% das celebridades brasileiras não tem nada de útil pra falar.
Para protestar contra homossexualismo masculino, grupo de mulheres lança camiseta: "Eu também tenho cu". Tá. Tem. Mas, libera? #piadainfame.
Do blog HTP: Pq os palhaços somem? Querida,esse mistério, junto com o terceiro segredo de Fátima, ninguém, jamais, em tempo algum, saberá.
Melhor twitada do dia! RT @PauloPampolin Unfollow em quem não tem o que dizer é melhor que orgasmo.
Após ser detido por dançar axé, padre é acusado de atropelar Jesus - Vamos cortar o vinho das missas, gente.
DO G1: Britânicos acreditam ver monstro do Lago Ness em imagem de satélite. Enterraram a Dercy Gonçalves na Inglaterra?
Policiais atiram 59 vezes e matam homem que queria se suicidar nos EUA. Para que gastar tanta bala se o homem já ia fazer o serviço?
A silhueta tá adorando a ideia de almoçar goiabas e danones, mas o estômago já deu sinais de que ele não está gostando nada da história.
Sim, eu sou desesperada e não quero o Marcão na zaga titular. #precisamosdezagueiro.
A camisa azul do Palmeiras vale cada real dos duzentos que investi nela.

Amor


A razão não explica

Do céu ao inferno e ao céu novamente. Uma confusão de sentimentos sem fim. Aquela ansiedade no peito, aquele nervosismo que faz as mãos pingarem de sour. A raiva, a cornetagem, aquela montanha russa de sentimentos e emoções. Você até tenta agir como uma pessoa normal, mas isso não dura cinco minutos: dali a instantes, a frieza foi para o saco e cá está você novamente xingando, berrando, chorando, sorrindo, explodindo de alegria.

Mas você vai gastar DUZENTOS reais numa blusa de time? Você vai gastar CINQUENTA reais pra ir a um jogo? Você tá me pedindo dinheiro emprestado pra ver jogador de futebol? Você va
i chegar atrasada ao meu aniversário por causa de um jogo de futebol?

Sinceramente, alguém consegue ser frio, calculista e dinheirista, quando se depara com o seu amor? Eu não consigo pensar em dinheiro, na vida social, em nada. Eu só amo, sofro, choro e vibro. E sou IMENSAMENTE feliz com isso. Mesmo na merda. Mesmo quando aquele resultado que você sonhou o ano inteiro não vem. Mesmo na segunda divisão. Mesmo que fosse na quinta divisão.

No inferno ou no céu. Na pior das derrotas ou na tão esperada vitória.

Deus, só te digo uma coisa: Obrigada por me ter feito palmeirense.

Parabéns, Sociedade Esportiva Palmeiras, pelos 95 anos fazendo uma nação, de 15 milhões de pessoas, imensamente feliz!


segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Nova campanha: 3a camisa

Vídeo simplesmente LINDO que a Adidas fez para lançar a nova terceira camisa (que eu já tenho).

A torcida que canta e vibra merece!

About me

Stubborn and hard-hearted.
Strong-willed and highly motivated.
Sharp thoughts.
Easily angered.
Attracts others and loves attention.
Deep feelings.
Beautiful physically and mentally.
Firm standpoint.
Needs no motivation.
Easily consoled.
Systematic (left brain).
Loves to dream.
Strong clairvoyance.
Understanding.
Sickness usually in the ear and neck.
Good imagination.
Good physical.
Weak breathing.
Loves literature and the arts.
Loves traveling.
Dislike being at home.
Restless.
Not having many children.
Hardworking.
High spirited.
Spendthrift.

A TPM, a goiaba, a barriga e o verão

A TPM: Tá que tá. Odeio gente fresca, odeio shopping lotado, odeio não ter cem contos pra pagar no edredon do Palmeiras. Odeio a net que corta minha TV a cabo sem nem me avisar que ELES não debitaram minha conta conforme programado. E odeiooo meu cérebro, que me fez esquecer de tomar o anticoncepcional hoje, na hora do café da manhã. Vai atrasar umas 10 horas. Mas, foda-se mesmo. Se essa merda ainda alivia-se a cólica que eu estou sentindo, mas, nem isso. Meu único risco é engravidar do Espírito Santo, mas como faz uns 2000 anos que ele não resolve fecundar ninguém, acho que não vai ser comigo...

A GOIABA: Tá aqui e eu to comendo ela. Agora é assim: almoço de um danone e uma goiaba por dia. Por que?

A BARRIGA: Porque a barriga tá grande e tá aqui e ela precisa sumir. Então, vamos fingir que somos saudáveis porque é preciso ficar magra. Porque...

O VERÃO: está chegando e é preciso se adaptar ao padrões da sociedade consumista/capitalista/magérrima, principalmente agora que eu estou solteira. Porque solteira a gente pode ficar, mas, sozinha, nunca! E com esse barrigão de grávida obesa, não dá! E se eu quero desfilar sorridente nas praias de Natal no final do ano, temos que melhorar o corpo pra eu não reclamar do biquini.

O inferno, o céu, e a terra

No Palmeiras, é sempre assim: se o time ganha, seremos campeões. Se perdemos, tem que demitir o elenco inteiro e mandar o técnico para o quinto dos infernos. Somos uma torcida extremamente passional e por isso, vamos do céu ao inferno entre uma rodada e outra.
Nesse final de semana, deu tudo certo. Como tinha um aniversário de uma amiga queridíssima para ir, não fui ao jogo. Contentei-me em estrear a minha MA-RA-VI-LHO-SA camisa azul no Bar Samba, onde comemoramos os 26 aninhos da dona Maria Fernanda Maia com muito chope e samba de verdade. Foi ótimo.
Lá pelas sabe-deus-que-horas, quando eu e a Melina estávamos indo ao estacionamento buscar o carro, lembramos de perguntar quanto estava o jogo: Palmeiras 2x0 Inter, para a incredulidade total das duas corneteiras de carterinha. Escutamos o resto do segundo tempo pelo rádio (inclusive o gol do Inter). Ganhamos a noite definitivamente.
Ontem, a seca-pimenteira das duas cornetas deu certo: obrigada, Furacão! Obrigada, Botafogo! Só faltou o Santos fazer sua parte, mas, vá lá, também não dá para querer tudo. Só sei que tudo de ruim que a rodada do meio de semana teve para o Palmeiras, se converteu em ótimos resultados no final de semana. E cá estamos nós de novo pensando no título, só nele.
Eu não vou falar do jogo, porque simplesmente não dá para comentar o que não se viu. Sei que pelos comentários que li, minhas opiniões se reforçaram ainda mais: nosso problema é elenco. Temos um bom time, mas um elenco muito meia boca. E, quando o técnico não inventa e coloca o time para jogar no 4-4-2, cabum, o time joga bem. Por isso, vamos lá repetir de novo qual o segredo para levantarmos esse caneco: reforços + escalações sem invencionices.
Certo, diretoria? Certo, Urtigão?
E no próximo final de semana tem clássico: Palmeiras X São Paulo. Jogo difícil, que pode tanto nos levar definitivamente ao céu, ou fazer o verdão voltar para o quinto dos infernos. Vai ser ruim não ter o Claiton Xavier (vamos torcer para que ele se recupera a tempo), principalmente porque, bem... a gente sabe dos problemas que o Palmeiras tem para jogar no Morumbi. Mas, como nem tudo é desgraça, nós temos um trunfo sem igual dessa vez: Muricy Ramalho no nosso banco.
Sim, eu não gosto do Urtigão, mas é inegável que ele vai fazer a diferença porque a) conhece o elenco do SPFC como ninguém, e b) deve estar doido pra calar a boca do arrogante do Dagoberto que falou mal dele.
Não será o fim do mundo um empate, mas estou confiante numa vitória. Pode ser que percamos e na próxima segunda, eu chute o balde aqui só para variar, mas algo me diz que tudo conspira ao nosso favor. Esse ano, inclusive, estamos com aquela sorte, aquela sorte de campeão que só abraça quem merece. Ou, vai dizer que não é sorte o time fazer 3 pontos em 4 rodadas e continuar líder?
Enfim, muita maracujina para todos, porque a adrenalina já está alta e essa semana, vamos quebrar tudo.

VAI, PALMEIRAS!

Tá chegando a hora...


O nosso palestra comemora na quarta-feira, dia 26 de agosto, 95 anos de glórias e conquistas.
Vamos comemorar!!!



Eu vou, e você?


sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Novos - e divertidos - anjos

Gabriel, Rafael, Miguel... Com estes anjos, já estamos acostumados. Mas, apresentamos nesse blog, uma nova categoria de anjos que acabou de ser divulgada pelo Vaticano. Conheça seus novos protetores:

Aluguel
Anjo mau. Não deixa a pessoa conseguir sua casa própria.

Embratel
Anjo protetor do monopólio das comunicações.

Chanel
Anjo protetor dos costureiros, estilistas e outros boiolas.

Papai Noel
Anjo protetor do comércio. Só aparece no fim do ano para acabar com seu 13º.

Tonel
Anjo protetor dos alcoólatras anônimos e bêbados em geral.

Pastel
Anjo protetor das colônias japonesas e chinesas.

Gel
Anjo que protege as pessoas com cabelos rebeldes.

Manoel
Anjo protetor das piadas preconceituosas.

Papel
Anjo protetor daqueles com intestinos soltos.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Livro ensina a fugir dos relacionamentos destrutivos

Do Blog 7x7, da Época.

- Você parou de exercer alguma de suas atividades favoritas por causa do seu parceiro?
- Você diria que se sente esgotada, em vez de energizada, depois de interagir com aquele que é o homem da sua vida?
- Em público, ele se comporta de forma diferente do que faz quando vocês estão sozinhos?
- Ele frequentemente a acusa de estar flertando, de não estar onde você disse que estaria ou de envolvimento em atividades suspeitas?
- Você o flagra em mentiras que ele não admite, nem quando você tem provas?
- Ele se comporta de maneiras que a fazem sentir que ele é uma adolescente e você é sua mãe?
- Seu parceiro costuma transformar discussões sobre assuntos importantes para VOCÊ em discussões ques só têm a ver com ELE?
- Ele concorda com várias condições de seu relacionamento, depois as ignora completamente, sem qualquer explicação razoável?
- Ele a tem depreciado ou criticado com frequencia, e depois insistido que estava “só brincando”?
- Você se vê muitas vezes tendo que dar desculpas por ele ou pela forma como ele se comporta?
- Você se vê frequentemente dizendo a si mesma “mas ele me ama…”, de modo a justificar os comportamento dele que a magoam?

Essas e outras perguntas fazem parte de um teste do livro Ele não serve pra você - um guia para livrar-se de relacionamentos destrutivos, que será lançado no fim do mês pela Editora Rocco. A autora é Beth Wilson, americana especialista na área de aconselhamento, best-seller e campeã de audiência na internet. Ela o escreveu com a consultoria da psicóloga novaiorquina Maureen Therese Hannah. O alvo do livro são as mulheres que se deixam levar por seus sonhos de encontrar o amor e muitas vezes não conseguem desembarcar de relacionamentos problemáticos, que podem acabar com suas vidas.

A autora fala de como essa armadilha da relação doentia se arma sutilmente em torno dessa mulher. O medo de perder o parceiro é a chave de tudo - daí a ênfase em elevar a autoestima. Ela descreve as formas de controle desses homens, ataca a mitologia romântica e estimula a atenção aos próprios instintos.

Começar a ler o livro me fez lembrar de uma amiga que ficou casada cinco anos e saiu acabada deste relacionamento, em todos os aspectos. Ela não tinha o distanciamento necessário para perceber. Mas nós, amigos, de fora, odiávamos vê-la presa, deprimida, mal cuidada. Este homem não parava de colocá-la pa baixo - inclusive em público.

Quem estava por perto morria de vergonha e de raiva por ela. Mas se alguma vez alguém levantou a voz para defendê-la, ela própria pediu que parasse. Suas observações, seus gostos, sua maneira de ser, tudo ele criticava. Chegava a impedir que ela comesse docinhos em festas. Dizia que ela ia ficar cheia de celulites. Tudo da forma mais agressiva possível.

Ela tentou se separar algumas vezes, mas aí ele se humilhava, pedia para voltar. Engordou, teve que tomar nti-depressivos, o cabelo caiu por causa dos sistema nervoso. Foram cinco anos terríveis. Sorte que não tiveram filhos. Ela nunca o abandonou. Foi ele que arrumou outra (com quem já tinha um caso de mais de um ano) e acabou com o casamento. Minha amiga sofreu. Mas foi melhor assim. Aos poucos ela se reergueu e hoje está bem, com outro namorado - e o aprendizado do que não deve aceitar em um homem.

Num dos capítulos, Beth dá pistas dos tipos de homem de quem se deve fugir:

O narcisista
O foco é sempre neles e em suas necessidades e, mesmo quando a atenção se volta para outros, não permanece lá por muito tempo. (…) Os narcisistas são naturalmente abusivos no sentido psicológico e emocional porque quase não têm espaço para acomodar os outros. (…) São cronicamente atrasados (porque qualquer coisa que estejam fazendo é prioridade), esquecem de aniversários, julgam pessoas rapidamente. Quando sentem que você não está lhe dando total atenção, reagem com tiradas que induzem à culpa.

O “cara legal”
Uma vez uma amiga me ligou para perguntar se era normal que um cara sempre estendesse a mão para outra mulher, algumas que mal conhecia. Será que ele era apenas “legal demais”? Dois meses depois ela telefonou para contar que ele estava fazendo sexo com outras mulheres - tendo mentido a respeito. “Ajudar mulheres” era seu método de invadir suas vidas e, por fim, suas calças.

O predador
Cruel, coração frio, isento de empatia. (…) Os predadores são especialistas habilidosos em imitar uma ligação psicológica e emocional, e até mesmo espiritual. (…) Mas essas falhas podem ser imperceptíveis quando você está encantada por ele. Normalmente trabalham duro e estudam muito para atingir suas metas. (…) Mas só enxergam os que estão ao redor exclusivamente com relação às próprias necessidades e frequentemente afligem as outras pessoas por seu ganho próprio. (…) Mudam de humor rapidamente: se enfurecem e depois são subitamente meigos. Mentem sobre remorso.

O viciado
Você tenta lidar com isso de modo que os vizinhos não o vejam bêbado no jardim. Tenta esconder o dinheiro. Tenta ser uma esposa e uma mãe melhor para reduzir o estresse, e ainda pensa que você pode ser a causa disso tudo. (…)

O vicado em sexo
Ele oscila entre querê-la e se mostrar indiferente na cama? Fica no computador, escondido, à noite? Flerta em festas, quando acha que você não está olhando ou trata você como se fosse invisível quando é apresentado a uma mulher atraente? Sutilmente faz comentários depreciativos sobre seu corpo, seu peso, sua aparência, para mantê-la retraída? (…) E depois dirá que você está exagerando e que “todos os homens precisam ver pornografia” ou “todos os homens têm casos extraconjugais quando não estão satisfeitos em casa; qual o problema?” Também podem ser muito possessivos, já que para eles é inconcebível que outros homens não a estejam cobiçando, da mesma forma como ele cobiça outras mulheres.

E você, já teve um relacionamento destrutivo?

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

O Faniquito

Desculpem-me, homens. Mas TODA mulher tem direito a ter um faniquito mensal.

E chegou a minha vez.

SOCOOOOOOOOOOOOOOOORRO!!!

Eu estou chata. Muito chata. Extremamente chata.

A TPM chegou.

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

No balanço do busão

Não tem nada mais divertido que andar em São Paulo de ônibus. Tem cada figura, você escuta cada coisa, vê cada cena... Hoje foi mais um dia daqueles. E, para minha alegria, o personagem tagarela era o cobrador (cobradores são ótimos, sempre super tagarelas). O contexto: Estava na cara que o motorista não queria papo e o cobrador não calava a boca.

Cobrador - Então rapá... vi na TV essa história ai da Lei do cigarro, né?
Motorista - Ahm, ahm...
C - Mas o cara falou um negócio certo, né? Como é que faz com a prisão?
M - No pátio.
C - Mas, e se o cara fumar assim mesmo? Vai fazer o que? Prender? Mas ele já não tá preso?
M - Aumenta a pena...
C - Tá, mas não tem que processar quem deixa fumar? Como o governo vai fazer? Ele não é o dono da cadeia? Como ele vai processar ele mesmo?

(dois minutos de silêncio)

C - Rapaz, cê tá vendo isso? Querem também que todo mundo fique de máscara na cadeia.
(silêncio)
C - Olha ali fora... Cerveja por R$ 3,50, está barato, hein?
(silêncio)
C - Olha o trânsito, cara. O 7398 tá voltando agora... Acabou de passar, você viu? Se ainda não tivesse aula, essa hora ele já estaria na Raposo...
(silêncio)
O cobrador começa a cantar um a música que eu nunca ouvi.

Passam-se cinco minutos.

C - Rapaz, nessa toada, vamos demorar meia hora pra chegar no Center Norte...
C - Mas como tem cara folgada, olha só esse motoqueiro, vagabundo, depois reclama quando é atropelado e morre...
Ele volta a cantar.

C - Rapaz, e o Corinthians, hein? Finalmente ganhou
M - Eu não gosto de futebol...
C - Mas e o tal do Bispo ladrão, você viu?

Entra um menino de 4 anos no ônibus e começa a conversar com a mãe berrando, alto.

O cobrador se cala.
O motorista sorri.

1x1 = 3pts em 3 rodadas

Sim, esse não é final de primeiro turno que todo palmeirense sonhou. Mas, pensando friamente e analisando algumas situações, essa queda de rendimento era esperada.

Vejamos:

1) Nossos dois reforços até o momento (Figueroa e Robert) não estrearam. Não temos reserva para o Armero (jogar com Marcão de lateral foi horrível). Wendell deveria ser reserva (como será). Nossa opção de reserva para o Ataque é o Daniel Lovinho. Temo um bom time, mas não temos peças de reposição nos últimos jogos. Por isso, as improvisações que não resultaram em nada. Precisamos de reforços, isso é fato e só não ver quem quer se iludir.

2) O Muricy é retranqueiro. Eu disse isso antes de ele ser contratado e repito. Ele precisa entender que não dá pra jogar com três volantes dentro do Palestra. Não por nada, mas porque a torcida do Palmeiras não gosta desse tipo de esquema tático e ponto. E não me venham com o papo de que se o time tivesse ganhado meu argumento seria inválido. O time não ganhou e é inadmissível perder para o Botafogo, que briga na zona de rebaixamento com oito desfalques, em casa. Ele ter dito que o São Paulo FC tem o melhor elenco do Campeonato Brasileiro também não ajudou muito. Ele tem todo o direito de pensar isso, mas expressar publicamente essa opinião, no papel de técnico do Palmeiras, é um erro gravíssimo, porque desestimula os atletas sob o comando dele. Se ele não consegue enxergar isso, é porque é burro (bom, mas todo técnico é mesmo).

3) A arbitragem: Até quando os árbitros sempre vão errar contra o Palmeiras? Até quando? É só o que eu quero saber!

O resultado de tudo isso: 3 pontos em 3 rodadas e a inglória tarefa de torcer contra o Internacional, contra o Corinthians (quase um sacrilégio) para podermos manter a ponta do Campeonato Brasileiro. Sem contar todo o blá, blá, blá midiático em torno do "Jason". Sim, se você ainda não percebeu, obviamente há toda uma torcida da imprensa em favor do São Paulo de novo. Mas, esqueçam: a moda acaba esse ano. Aliás, ignorem: não somos os queridinhos da mídia e nunca seremos. Então, não há muito o que fazer além de trabalhar, trabalhar, e trabalhar.

Ainda temos metade do Campeonato para fazermos um belo pão ou a massa desandar de vez. Mesmo assim, ainda prefiro cornetar uma perda de liderança que uma briga para não cair.

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

2+2 = 5,987%

Post para registrar minha indignação. Hoje, o Bom Dia Brasil apresentou uma matéria sobre as críticas que o imbec... ops, Ministro do Planejamento Guida Mantega fez aos banco privados, durante a apresentação de resultados do Banco do Brasil. Eu não vou perder meu tempo com o ministrinho (pois, como bem disse o Djalma no Orkut, não dá para levar a sério um cara que diz que preços baixos é sinal de uma economia ruim). Por outro lado, a suposta melhor comentarista de economia da televisão brasileira disse uma besteira tão besteira, que eu não poderia deixar passar em branco.

Disse Miriam Leitão:

"O ministro está certo, as pessoas precisam de juros baixos para poder consumir e o Brasil sofre de um problema anacrônico de juros altíssimos, resquícios da época de superinflação."

O comentário parece lindo, correto? Mas eu explico porque é uma idiotice ímpar.

O preço do juro segue a uma lei básica da economia: a lei da oferta e da procura. Lei esta, que é tão certa quanto a lei da gravidade. Se você tem escassez, o preço sobre. Se você tem abumdância, ele cai.

Num mundo ideal, o preço do juro iria variar conforme a poupança acumulada pelos indivíduos - lembramos que os juros é o "aluguel" do dinheiro.

Já no mundo das regulações, intervencionismos e keynesianismos, os juros variam conforme o humor do governo e sua incansável mania de pensar sempre no curto prazo. Explico: para forçar uma queda no preço dos juros, é preciso ter mais dinheiro disponível para empréstimos. Só tem duas maneiras de fazer isso: uma é por meio da poupança (mas isso demora e pode não ter resultados já na próxima eleição). A outra, é por meio da expansão monetária - ou imprimindo papel moeda ou diminuindo a quantidade de dinheiro que os bancos devem ter como reservas. Como é mais fácil e rápido por as impressoras do Banco Central para funcionarem do que estimular as pessoas a guardarem dinheiro, adivnha o que o governo escolhe? Tchan nam!

Obviamente, ainda há um problema nesse raciocínio: qual é o problema em imprimir dinheiro para facilitar o crédito para as pessoas? Eu explico usando um exemplo que estamos sentindo na pele. Sabe a atual crise econômica do subprime, etc, etc? Pois é. É isso que acontece quando o governo forçam os juros a ficarem abaixo dos níveis que seriam praticados num livre-mercado. O dinheiro criado artificialmente, que não tem correspondente produtivo é dinheiro artificial, de mentira, sem valor nenhum. As pessoas acham que estão ficando ricas, que tem dinheiro e ai, vem a crise e mostra que todo aquele papel moeda não vale nada.

Esse processo de aumento da base monetária (isto é, impressão de dinheiro que não existe para facilitar o crédito) é o que causa os ciclos econômicos, não o livre-mercado.

Expliquei tudo isso, para chegar ao meu raciocínio: se a maior comentarista de economia da TV brasileira não sabe algo tão básico e acha que o caminho para o país é criar dinheiro de mentira que necessariamente causarão bolhas econômicas, como é que as pessoas realmente querem que esse país saia da miséria que tem?

Não estou defendendo os bancos privados, nem nada disso. Até porque, todo sistema financeiro hoje é uma grande mentira. Mas uma jornalista como a Miriam Leitão não saber algo tão básico, me faz sentir pena nojo dela e pena do resto do Brasil (afinal, eu vivo aqui e sinto os reflexos de todas as merdas que todos do Bancos Centrais fazem no mundo).

Com gente assim, é claro que no Brasil 2+2 será igual 5.987% em lugar de 4.

segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Como não agir após tomar um pé na bunda

1) Saia pegando todo mundo e dê um jeito de a pessoa fica sabendo. Poste milhares de mensagens no seu Twitter e msn dizendo o quanto você está feliz.

2) Desclassifique a pessoa pela qual você foi trocada. Diga que ela é uma vagabunda, idiota, biscate, desclassificada, rameira.

3) Seja irônico e faça piadinhas para sua ex dizendo o quanto é legal lindo e inteligente o atual dela.

Se você fizer uma das duas coisas, vai atrair pena por cinco segundos - depois, será ignorado. Se você fizer duas dessas coisas, você vai desperta raiva por cinco segundos - depois, será ignorado. Agora, se você fizer as três coisas, você será transformado em motivos de piada - e, depois, será solenemente ignorado.

quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Conto de fadas para mulheres do séc. 21

Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã. Então, a rã pulou para o seu colo e disse:

- Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas, uma bruxa má lançou-me um encanto e eu transformei-me nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre...

E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava:

- Nem fodendo!!!

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Clap, clap, clap

Como eu sempre confio desconfiando, normalmente eu esperaria até o fim da janela de transferências. Mas, eu vou dar um crédito ao Belluzzo e cumprimentar nosso presidente por demonstrar ter peito e dizer que ninguém sai do Palmeiras. É isso mesmo! Esse é o espírito!

Temos que manter o elenco e trazer mais reforços (ainda precisamos de um lateral, um atacante e um meia), se quisermos continuar na dianteira até o final do campeonato. Mas o presidente do Palmeiras mandou espetacurlamente bem ao dizer que não vai assinar nenhuma recisão de contrato até o fim do Brasileiro.

É isso mesmo. Era desse sinal que a torcida precisava para ter mais paciência com a relação entre o clube e a Traffic. Era disso que precisávamos para ter certeza que o Palmeiras não é uma barriga de aluguel da parceira do clube.

PARABÉNS BELLUZZO!

Hoje, você merece palmas. Esperamos (eu e todos os palmeirenses do mundo) que tudo continue assim.

Vai, Palmeiras!

Solteira sim, e dai? A continuação

A Camila deu o pontapé inicial, no Blog dela e eu continuo aqui. Que coisa mais chata essa mania de as pessoas acharem que ficar solteiro é doença! Para ela, olham feio porque ela é mãe, tem mais de trinta e não se casou ainda. Já a minha lepra é porque eu terminei um namoro que "tinha tudo pra virar casamento". Tinha, mas não virou. E dai?

É um pé no saco ouvir da vó, vô, tio, tia, prima, primo, mãe, vizinha, porteiro, amigo, cachorro, etc, a pergunta: "Mas, por que você terminou? Ele era tão bonzinho, o casal perfeito...". A pergunta é seguida daquele olhar de "Será que ela aprontou alguma coisa? Ela é burra ou o que? Acha que tem homem sobrando no mundo?".

Mundo, preste atenção que eu só vou falar uma vez mais. Sim, eu tinha um ótimo namorado. Tão ótimo, que continuamos nos dando muito bem. E somos muito amigos. Mas não tem mais amor, logo, não tem mais relacionamento. Simples assim, entende? Não tenho medo de ficar sozinha e não estou desesperada por homem. Se vou arrumar um novo namorado na próxima semana ou nunca, isso não me preocupa. Eu não vou viver um relacionamento que pra mim acabou simplesmente porque mulheres precisam ter um namorado ou precisam ser casar. Solteirice não é doença.

Pode ser que eu conheça o amor da minha vida na próxima semana. Ou descubra que eu já conheço o amor da minha vida. Ou ainda, descubra que eu fiz besteira em terminar com o Odil.

EU NÃO SEI.

Só sei que, no momento, agradeceria ao mundo se ele deixasse eu viver minha solteirice em paz. Porque é quebrando a cara que a gente cresce e amadurece. E eu não tenho um pingo de medo de viver isso.

Momento "fala sério"

Hoje eu estou muito, muito, muito irritada com tudo. Sabe quando você olha e tem um insight que o mundo é pobre, feio e brega?

Eu juro que fico me perguntando que diabos uma pessoa tem na cabeça para encher a merda do nome dela no perfil do Orkut (que virou coisa de pobre total) com milhões de estrelinhas, asteriscos e sinais imbecis que só emos idiotas entendem. A pobreza total segue na descrição do perfil, normalmente, alguma frase ou texto idiota atribuído ao Carlos Drummond de Andrade ou Arnaldo Jabor, mas que não foi escrito por eles (e qualquer tonto que conhece o estilo dos dois saberia que por mais que eles fossem babacas, não escreveriam tantos clichês de merda).

Pra completar, pode ter certeza que a pessoa vai ter um monte de comunidades idiotas, como "Bebida, balada e beijo na boca" (se for solteira) ou "A(o) ex do meu namorado (a) é gorda (o)/clube das (os) namoradas (os) perfeitas(os)", se tiver namorado. O álbum de foto também será de uma breguisse sem fim. E, obviamente, o pobre nunca ouviu falar de Facebook e Twitter.

Aliás, se a pessoa tiver Twitter, pode ter certeza que é um daqueles babacas que ficam fazendo competição de followers pra ter 900 imbecis seguindo as asneiras que ele fala, tipo "bom dia, boa tarde, boa noite", em lugar de escrever alguma coisa que preste (tipo, dizer o que está fazendo, indicar um link legal, etc). Facebook, com certeza, a pessoa acha "difícil", ou só fica usando aquela merda de Máfia Wars (e mandando convites idiotas para você entrar, mesmo você já tendo recusado 900 vezes).

E tem as fotos do Orkut ou Fotolog. Vai ter alguma foto da pessoa dentro de um carro (que provavelmente ou tem teto solar ou luzes muito bregas de neon). Ou foto da fulana dançando funk na traseira de uma caminhonete. Tem também a clássica foto da pessoa com uma roupa mega brega em algum lugar que só pobre acha bonito. Com o comentário da amiga dizendo: "arrasou, pirigueti". Sim, arrasou. No concurso de miss boqueirão, só se for. Sem contar que de cada dez palavras escritas, nove estão erradas ou são transcritas em internetês. E, claro, a pessoa com certeza vê O Melhor do Brasil, Faustão e acha o máximo!!!

Pobre! Pode até ter dinheiro, mas tem espírito de pobre croqueteiro e cajuzinhoeiro! Jesus, me socorre!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Regras de etiqueta - como ir ao banheiro na casa da namorada

1– Não cague :
Ok. O guia parte do pressuposto que você vai cagar na casa dela. Mas, antes de cagar, avalie a possibilidade de não fazê-lo. Quando sentir a pontada, raciocine. "Posso segurar? É desesperador?" Nessa hora, é fundamental saber se essa segurada não se transformará em uma fábrica de flatulências. Se isso ocorrer, opte por cagar.

2 – Não cague em banheiro muito freqüentado :
Se você tem de cagar, escolha aquele lavabo que fica na sala onde ninguém visita. Ou vá ao banheiro da empregada (isso, claro, se a empregada não estiver presente). Ou vá à suíte do quarto de hóspedes. Algo do tipo. Evite a todo custo o banheiro do corredor ou aquele ao lado da sala de televisão. É caixão. Você vai lá, todo feliz, despeja seus detritos no vaso, lava as mãos e, quando sai, vê sua sogra indo direto no banheiro para lavar a mão antes do almoço! Ou o sogro! Ninguém merece.

3 – O trono :
Examine a privada da casa da sua namorada. Antes de cagar, dê descarga para ver se ela está funcionando. Nunca, em hipótese alguma, inicie os trabalhos sem dar descarga e testar a potência dela. Caso contrário, se a privada estiver entupida, você terá três caminhos a seguir, todos desgraçadamente ruins: 1) Deixar a bosta boiando ali e correr o risco do seu sogro entrar em seguida e, para todo o e sempre, considerá-lo um sujeito decrepto por deixar o mandela a boiar; 2) Tentar dar descarga, a água transbordar e você ficar ali, vendo a água da privada inundar o banheiro com resquícios de suas fezes. Um caos completo, com direito a deixar a mãe dela limpando aquela bosta toda; 3) Ser obrigado a pegar um saco plástico, enfiar a bosta dentro e sair – com o saco plástico pingando água da privada no chão – até conseguir chegar ao banheiro mais próximo. Em resume: teste a merda da privada!

4 – O fedor :
Tenha cuidado com o mau cheiro. Alguns machos são mestres em cagadas fedorentíssimas. Use a inteligência. Ao despejar a merda no vaso, dê descarga imediatamente. O raciocínio é simples: quanto mais ela ficar boiando por ali, mais cheiro ruim vai exalar. O ideal seria cagar com a descarga funcionando, mas molha a bunda. Quando estiver no trono, olhe em volta. Abra os armários e as gavetas. Se achar um perfume, dê umas borrifadas no vaso e no banheiro antes de sair do recinto. É uma boa forma de matar as moléculas de merda que estão voando pelo ar. Se tiver "Bom Ar", não exagere. Você não vai querer sair do banheiro cheirando bom ar. Ah, e sempre, sempre, sempre feche a porta.

5 – O papel:
Nunca, mas nunca mesmo, comece os trabalhos sem verificar se há papel higiênico no recinto. Toda a sua estratégia escorre pela privada se você tiver de abrir a porta e gritar: "Amoooooooor! Acabou o papel!". Nobody deserves!

6 – Thanks for sharing :
Os americanos têm uma expressão de fabulosa ironia que é o "thanks for sharing". Usa-se essa expressão toda vez que alguém lhe conta algo que você realmente não precisava saber. Isso serve para quando o homem termina de cagar na casa da namorada. Você, idiota, não precisa contar pra ela. Você não está entre amigos, onde você sai do banheiro e diz "tô até mais leve" ou "nossa, essa cagada foi masculina". Ela não precisa saber. Aliás, ninguém precisa saber. Contenha sua vocação pra idiota e silencie sobre o que você fez no banheiro.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Como ficar neurótica com a gripe suína

Em tempos de gripe suína, deixo aqui algumas dicas de como entrar e surto e achar que pegou a gripe porcolina.

1) Acorde com febre, dores no corpo, garganta inflamada e tosse.
2) Vá trabalhar e faça sua febre piorar.
3) Deixe sua febre ultrapassar os 38,5C e vá ao hospital
4) Ao chegar, relate seus sintomas e "ganhe grátis" uma máscara higiênica.
5) Observe atentamente as outras 35 pessoas que também "ganharam grátis" a tal máscara.
6) Observe atentamente todo mundo tossindo.
7) Após esperar 3h na emergência, mesmo tendo plano de saúde, escute do seu médico "aparentemente não é nada, mas você vai ter que ficar dois dias em casa, tomando quinze tipos diferentes de remédios. Se você tiver febre amanhã, deve voltar para o hospital".
8) Tome a injeção no hospital, vá embora, passe na farmácia e compre os milhões de medicamentes indicados, que, com certeza, vão te deixar sem um mísero centavo no bolso.
9) Tenha febre no outro dia, volte ao hospital e ganhe mais um dia de molho.
10), se achar tudo isso muito trabalhoso, tem um único passo super rápido: peça para o seu time jogar contra o Palmeiras.


segunda-feira, 27 de julho de 2009

Desculpas esfarrapadas para dar um fora em alguém

Desculpas Femininas:
1. Penso em você como um irmão. (Você me lembra um pré-adolescente espinhento que fica jogando Tibia o dia todo.)
2. Tem uma pequena diferença de idade entre nós. (Não quero trepar com meu avô.)
3. Não estou atraída em você ‘dessa’ maneira. (Você é o ogro mais feio que meus olhos já avistaram.)
4. Minha vida anda muito complicada nesse momento. (Não quero que você fique toda noite aqui, se não você vai ouvir as ligações dos outros caras com quem eu estou saindo.)
5. Eu tenho um namorado. (Eu prefiro ficar em casa com meu gato e uma garrafa de vodca.)
6. Eu não saio com caras do trabalho. (Eu não sairia com você nem se estivéssemos no mesmo ’sistema solar’, muito menos no mesmo prédio.)
7. Não é você, sou eu. (É você.)
8. Estou concentrada na minha carreira. (Até algo tão chato e sem futuro como meu trabalho é mais interessante que você.)
9. Sou celibatária. (Jurei a Deus que não dormiria com homens, do seu tipo.)
10. Vamos ser amigos. (Eu quero que você fique por aí, só para eu contar todos os detalhes prazerosos dos meus relacionamentos carnais. Deve ser aquela história de perspectiva masculina.)

Desculpas Masculinas:
1. Te vejo como uma irmã. (Você é feia.)
2. Tem uma pequena diferença de idade entre nós. (Você é feia.)
3. Não estou atraído a você ‘dessa’ maneira. (Você é feia.)
4. Minha vida está muito complicada agora. (Você é feia.)
5. Tenho uma namorada. (Você é feia.)
6. Não saio com colegas de trabalho. (Você é feia.)
7. Não é você, sou eu. (Você é feia.)
8. Estou me concentrando na minha carreira. (Você é feia.)
9. Sou celibatário. (Você é feia.)
10. Vamos ser amigos. (Você é feia pra caralho.)

domingo, 26 de julho de 2009

OBINA!


Obina.

Depois destes 5 gols (pena que só valeram 3) hoje, eu só posso dizer uma coisa: VOCÊ MERECE VESTIR A CAMISA DO PALMEIRAS. E HONRA ELA.

OBINA!
PALMEIRAS!
3X0 NA FREGUESIA!
CHUPA CORINTHIANS!

sábado, 25 de julho de 2009

Ansiedade. Ela...

Eu não quero falar de futebol.
Eu não quero lembrar que o novo técnico do Palmeiras é o Muricy Ramalho.
Eu não quero lembrar que amanhã tem o jogo mais importante da história do futebol mundial.

Eu quero roer minhas unhas. Eu quero me esconder do mundo. E pensar na morte da bezerra.

Eu queria pensar no frio, na Mega-Sena, no último avião que caiu, na bagunça que está meu apartamento, na chuva, no sono, nos livros que preciso ler, em tantas coisa...

Mas, confesso:

Só consigo pensar no maldito ou bendito jogo de amanhã.

Porque amanhã é dia de Palmeiras X Corinthians.

Um jogo indescritível. O maior jogo de futebol do mundo.

Quem disse que eu não gosto de Cuba?

Não sei porque, mas sempre que penso numa noite a dois perfeita, tenho vontade de ouvir isto aqui.

Pena que meus namorados/ficantes nunca foram muito bons em dançar.
Quem sabe o próximo.

ps. E digo mais: o homem mais sexy do mundo é o Roldán Gonzalez. Vocês têm ideia do que é aquela criatura cantando e dançando? Ui, minha adrenalina.

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Yeah, I'm talking to you!


Operação Roubo Descarado

Fodeu tudo de vez, com o perdão da palavra.

Qualquer possibilidade de eu estar de bom humor foi para as cucuias depois do jogo de ontem. ASSALTARAM O PALMEIRAS NA CASA DURA. E O LADRÃO FILHO DE UMA PUTA É O EVANDRO ROGÉRIO ROMAN.

Não bastasse a minha TPM, que chega ao auge no sábado, o Muricy, minha conta bancária, a quantidade de livros que preciso ler e não encontro tempo, o maluco que me persegue no Orkut, o chato do webdesigner que está fazendo as capas dos livros do IMB, o Marcão, o Jumar, a gripe suína, o confisco de Tamiflu, o clima em São Paulo, meu nariz que é um enfeite, as 498 páginas de tarefa de inglês, a nova lei do Serra, e a mais esquisita solteirice que eu já vivi na vida, esse árbitro IMBECIL tinha que foder de vez com meu humor.

PUTAQUEOPARIU, que vergonha o jogo do Palmeiras ontem!!!

Um imbecil desses tinha que ser proibido de ver futebol, quanto mais, apitar um jogo.

Aviso aos navegantes: Essa mulherzinha de cabelo ruim que usa chapinha está a ponto de explodir. É recomendado pensar mil vezes antes de falar qualquer coisa e manter uma distância segura.

domingo, 19 de julho de 2009

Libertários

Nós, os Libertários, defendemos:

Quanto à Organização do Estado: descentralização administrativa e real federalismo; redução drástica da carga tributária; simplificação dos impostos; fim da progressividade tributária e das cobranças em cascata.

Quanto aos Direitos Individuais: o direito de propriedade é o direito individual essencial e não pode ser relativizado em nenhuma hipótese. Negamos a função social da propriedade e a função social dos contratos. A liberdade de escolha do indivíduo não pode ser suprimida, salvo em caso de lesão ao direito de outrem. Defendemos, ainda, a descriminalização dos "crimes sem vítima"; descriminalização do uso de drogas; legalização de jogos de azar; união civil entre quaisquer cidadãos e liberdade de formas do casamento; fim do alistamento militar obrigatório; fim da discriminação oficial estabelecida pelas cotas raciais; garantia do direito à posse e porte de arma; reforma política ampla, liberdade para criação de partidos, inclusive regionais, correção da proporcionalidade na Câmara dos Deputados, fim do fundo partidário e fim do voto obrigatório; liberdade de imigração e emigração.

Quanto aos Serviços Públicos: retirada do Estado da prestação de serviços públicos, tais como educação, saúde, infra-estrutura, administração presidiária, entre outros.

Quanto ao Sistema Econômico: eliminação dos controles de salários, preços, aluguéis, lucros, produção e juros; fim do favorecimento público a setores privados da economia; fim do controle monetário com extinção do Banco Central; plena liberdade econômica; fim dos monopólios estatais; privatização das empresas públicas e sociedades de economia mista; fim da interferência governamental nas relações trabalhistas com total liberdade entre as partes; liberdade de organização sindical; livre mercado com circulação de bens, produtos e serviços.

www.libertarios.com.br

Cause I'm the taxman

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Sobre pipocas, leis e regulamentações

Não me xingue, oras: esse post é sobre os times brasileiros, não sobre o Palmeiras (que ontem jogou muuuuito bem por sinal. Viu como técnico não entra em campo, mas pode ser desfalque?).

Há dez anos que um time brasileiro não consegue vencer um estrangeiro numa final de Libertadores. O último foi o Palmeiras em 1999. De lá pra cá, Palmeiras, São Caetano, Santos, Cruzeiro, Grêmio e Fluminense pipocaram bonito e deixaram que festas em espanhol ocorressem em nossos estádios. Em 2005 e 2006, quando times do país conquistaram títulos, as finais foram caseiras - não à toa, a Commembol proibiu finais entre times do mesmo país em 2007.

E o que isso nos diz?

Básico: que a desestruturação, falta de profissionalismo, e a total incapacidade dos clubes brasileiros segurarem seus ativos (ou seja, os jogadores) nos tornou menos capazes de termos times competitivos que sejam capazes de competir de igual para igual com nossos vizinhos sulamericanos.

E por que não temos essa capacidade, já que o Brasil é um dos países mais estruturados e com o maior PIB da América do Sul?

Há muitos fatores que podem explicar a decadência do futebol de clubes brasileiro na última década. Mas eu quero me prender a um especifícamente que, para mim, parece ser a mais relevante: a Lei do Passe Livre/Lei Pelé, em vigor desde 2001.

É sabido e de conhecimento amplo que TODOS os times do Brasil hoje são completamente dependentes da boa vontade dos empresários do futebol. Seja por meio de uma parceria aberta, como é o caso da Palmeiras/Traffic, ou oculta, como ocorre entre o São Paulo e Juan Figer, dos menores às camisas de maior tradição do futebol, todos os clubes de futebol hoje precisam de empresários para sobreviver. Ninguém anda com as suas próprias pernas, ninguém compra jogadores inteiros com dinheiro vindo de seu próprio bolso.

E tudo isso, graças à adorada Lei do Passe.

O Estado Brasileiro ao tentar regulamentar algo sobre o qual ele não sabe e não tem a menor ideia de como funciona (ok, Estado burro é redundância) conseguiu jogar nosso futebol no lixo.

A desculpa oficial era que a lei beneficiaria os atletas, que teriam maior liberdade para negociar seus contratos. Na prática, tirou-se o poder dos clubes e jogou-se na mão de empresários - que não estão muito preocupados com títulos, mas sim com a venda de jogadores por quantias milionárias para algum time obscuro do Uzbequistão.

Não que eu esteja elogiando a lei anterior, que tornava um jogador escravo do time. O ponto é que é absurdo o governo definir como deve ser uma relação de troca entre um indíviduo e uma associação esportiva. Os termos de um contrato de trabalho deveriam ser definidos unica e exclusivamente entre o jogador, com o auxílio de seu procurador/advogado/empresário e o clube, chegando-se a um acordo que seja bom para ambas as partes. Jamais essa negociação deveria ser definida por uma terceira parte que não entende absolutamente nada sobre o futebol.

Ou seja: Não precisamos de uma lei para definir a relação contratual entre times x clubes. Cada caso deveria ser um casa a ser definido e negociado entre as partes envolvidas. Por isso, a melhor solução para que os clubes brasileiros voltem a ter times competitivos é simplesmente acabar com qualquer tipo de regulamentação na relação de trabalho entre jogadores e clubes. Num cenário assim, tanto o jogador quanto o clube ganham mais poder de barganha. E os amantes do bom futebol poderiam voltar a ver time pelo menos razoáveis em campos brasileiros.

ps. Ainda sobre esse assunto, eu vou escrever mais, posteriormente.