segunda-feira, 23 de março de 2009

Fringe

Li a crítica na Galileu e vi esse final de semana. É a nova série do J.J. Abrahms, o criador de Lost e diretor da nova versão de Star Trek (que estreia em Maio e eu mal me aguento de curiosidade).

O engraçado é o roteiro não é nada revolucionário. O grande lance da série é misturar o melhor daquelas nossas séries preferidas - a ironia de House, o vício de Lost, os temas geniais de X-Files, o ritmo alucinante de 24h e por ai vai.

Vi onze episódios entre sábado e domingo e neste momento, estou esperando baixar os últimos três que faltam para eu acompanhar o que está sendo veiculado nos Estados Unidos. Essa série, inclusive, vai ao ar após House na CBS e a dupla tem dado bons índices de audiência. Merecidamente, porque se meu médico preferido está mais irritantemente adorável do que nunca esteve, ainvestigadora Olívia Dumhan e seu perfil agente do FBI-que-perdeu-o-parceiro está bem construído, denso sem ser chato. A dupla Bishop (pai e filho) garante boas gargalhadas e as cenas de ação são legais sem serem exageradas.

E, a ciência de borda, com teorias malucas sobre vibrações que te fazer atravessar uma parede, viagens no tempo,compartilhamento de lembraças, dão o toque final.

Eu recomendo. A série estreia em breve no Warner Channel aqui no Brasil. E se quiser se adiantar, a internet está ai. Baixe tudo e comece a ver logo, porque Fringe é sensacional!

ps. Sim, eu sou nerd.

Nenhum comentário: