domingo, 19 de abril de 2009

Campanha

Minha cunhada retornou recentemente dos Estados Unidos. Foi a primeira viagem dela para a América e, entre outras coisas que a surpreenderam lá é que, ao comprar qualquer coisa, você sabe exatamente quanto está pagando de imposto sobre aquele bem, pois o valor das taxas governamentais é cobrado à parte, no caixa do estabelecimento.

Essa é a maneira que os americanos têm de saber quanto do valor de um produto vai para o governo e quanto vai para o comerciante. Quando o governo sobe impostos sobre produtos, o consumidor fica sabendo da medida na hora em que vai pagar suas contas. Ele consegue diferenciar quando o aumento é decisão do produtor ou da máquina governamental.

Aqui no Brasil - o paraíso dos gastos públicos sem controle - isso não existe. Então, não conseguimos ter ideia o quanto poderíamos economizar na compra de produtos ou serviços e, a partir disso, cobrar uma postura de redução da gastança do governo (sim, porque é por meio dos impostos que o governo sustenta toda máquina estatal, incluindo a cota de passagens aéreas da câmara e do senado, que nossos representantes têm utilizado para fazer turismo com seus familiares).

Por isso, a iniciativa da Associação Comercial de São Paulo para aprovar uma lei que obrigue que aqui também tenhamos acesso ao valor de impostos sobre produtos e serviços, tal qual ocorre nos Estados Unidos, é digna de aplausos e merece a adesão de todos os brasileiros que sustentam o Estado. Principalmente os mais pobres, que são aqueles que mais pagam impostos proporcionalmente - a incidência de imposto sobre um carro é de aproximadamente 47% do seu valor, independente de qual classe social seja o trabalhador.

Por isso, indico para quem tiver interesse em apoiar a iniciativa, entrar no site da Campanha De Olho no Imposto (clique aqui) e assinar a petição online que será enviada ao congresso. É fácil e rápido para se cadastrar e você colabora para tornar nosso país mais transparente para nós e para as futuras gerações.

Participe!

ps. que finalzinho de texto clichê, hein?

Um comentário:

Rayna disse...

Realmente! Muiito clichê hihi'
nhááá, gostei daqui ^^
você tem uma forma divertida de se expressar através das palavras :)
beeijos;*