quinta-feira, 4 de junho de 2009

Como odiar o seu médico

Depois quando eu digo que tem coisas que só acontecem com a Núbia, as pessoas duvidam. Pois bem, hoje foi mais um daqueles dias.

A moça marcou a consulta com o endocrinologista há três meses. Por falta de vagas, foi agenda para as 7h30 da MADRUGADA. Ok, super bacana acordar seis da manhã com uam temperatura de dez graus, mas paciência. Acorda, troca de roupa, vai pegar o metrô. Entra na estação Anhangabaú, beleza. Mas, eis que a Sé a esperava. De cara, viu alguma coisa esquisita. Escadas rolantes paradas, impossivel chegar perto do acesso ao sentido Jabaquara. Simplesmente um MUNDO de pessoas se apinhavam para conseguir descer a escada e chegar perto da plataforma de embarque (eu devia ter tirado foto, surreal aquilo, se alguém grita bomba, morre uns 50 fácil!).

Quatro trens depois, a Núbia consegue entrar em um. Da Sé até a estação Ana Rosa, devagar quase parando (e ela quase se atrasando). Um saco, mas, paciência. Chega em cima da hora na estação e sai correndo feito uma louca. Frio gelado, pessoas na frente andando com tartarugas. As 7h30, ela entra no hospital.

- Moça, endocrinologia não é mais aqui. Se mudou para a av. Rodrigo Alves.

Mulher TPM detected.

- Mas moço, eu não vou chegar lá a tempoooooo!
- Calma moça. Chegue lá e avise que a central não te informou sobre a mudança que eles vão te atender. Pode confiar em mim.

A burra, lógico, confiou. Lá vai... Três quadras e muitos passos de salto depois, a clinica. Pega a senha, senta e espera.

Médico novinho, com cara de "eu penso que sou gostoso", conversando com os dois atendentes. E o trabalho parado. "Sim, eu estou irritada. Sim, eu vou mandar esse médico ir trabalhar e deixar todo mundo ser atendido. Maldito, deve se achar o gostoso. Filho de uma puta, vai pro consutório, caramba", pensa.

O mala vai embora.

Senha 277.

La vai.

- Moça, sua consulta estava agendada para as 7h36.

Ela explica a história.

- Ok, aguarde na sala ao lado ser chamada pelo nome.

Um, dois, três, quatro, cinco pessoas são chamadas. O recepcionista.

- Moça, sua consulta não estava agendada para as 7h36?

E vamos nós contar toda a história.

- Ok. É que o Dr. Luiz Gustavo Perguntou.

"Hum... Pra que diabos esse médico quer saber isso?"
Enfim. Espera. Todos os pacientes são atendidos.

- Recepcionista, que horas eu vou ser atendida, hein?
- Agora moça, vou falar com o médico.

"Médico filho de uma puta, lazarento, viado, corno, bambi. Uh! Mato!".

- Núbia Tavares.

O mau-humor em pessoa se levanta. E quando olha... Náo é que era o maldito médico lá do início da história que tava atrapalhando a consulta? Ódio nos olhos. Dois meses esperando por uma consulta pra ser atendida por um mala preguiçoso que não queria me atender só porque a merda da central da bosta do plano de saúde que o paga esqueceu de me avisar o pequeno detalhe relativo à mudança de endereço.

- Você chegou atrasada, sabia?

"Sabia? LÓGICO SEU IMBECIL, VOCÊ ACHA QUE EU NÃO SEI OLHAR HORAS, BABACA?"

- Pois é, doutor, sua central esqueceu de me avisar o detalhe sobre a mudança de endereço.

A consulta segue. Vontade de torcer o pescoço do lazarento. Forte, ainda por cima!

- Dona Núbia, você terá que voltar em 50 dias. Vamos ver como ficarão as coisas e, se não der, você terá que fazer um tratamento periódico durante dois anos.

"Dois anos?????? Ele tá louco!!! NUNCA vou ficar dois anos olhando pra cara desse mala!!!! FDP!"

- Perfeito, dr., Muito obrigada. Será um prazer revê-lo.

Levanta, vai embora e tchau.

Nenhum comentário: