segunda-feira, 17 de agosto de 2009

No balanço do busão

Não tem nada mais divertido que andar em São Paulo de ônibus. Tem cada figura, você escuta cada coisa, vê cada cena... Hoje foi mais um dia daqueles. E, para minha alegria, o personagem tagarela era o cobrador (cobradores são ótimos, sempre super tagarelas). O contexto: Estava na cara que o motorista não queria papo e o cobrador não calava a boca.

Cobrador - Então rapá... vi na TV essa história ai da Lei do cigarro, né?
Motorista - Ahm, ahm...
C - Mas o cara falou um negócio certo, né? Como é que faz com a prisão?
M - No pátio.
C - Mas, e se o cara fumar assim mesmo? Vai fazer o que? Prender? Mas ele já não tá preso?
M - Aumenta a pena...
C - Tá, mas não tem que processar quem deixa fumar? Como o governo vai fazer? Ele não é o dono da cadeia? Como ele vai processar ele mesmo?

(dois minutos de silêncio)

C - Rapaz, cê tá vendo isso? Querem também que todo mundo fique de máscara na cadeia.
(silêncio)
C - Olha ali fora... Cerveja por R$ 3,50, está barato, hein?
(silêncio)
C - Olha o trânsito, cara. O 7398 tá voltando agora... Acabou de passar, você viu? Se ainda não tivesse aula, essa hora ele já estaria na Raposo...
(silêncio)
O cobrador começa a cantar um a música que eu nunca ouvi.

Passam-se cinco minutos.

C - Rapaz, nessa toada, vamos demorar meia hora pra chegar no Center Norte...
C - Mas como tem cara folgada, olha só esse motoqueiro, vagabundo, depois reclama quando é atropelado e morre...
Ele volta a cantar.

C - Rapaz, e o Corinthians, hein? Finalmente ganhou
M - Eu não gosto de futebol...
C - Mas e o tal do Bispo ladrão, você viu?

Entra um menino de 4 anos no ônibus e começa a conversar com a mãe berrando, alto.

O cobrador se cala.
O motorista sorri.

2 comentários:

Monica disse...

ahahaha pois é... se a gente tira o fone do ouvido é estória que não acaba mais... curti o post. (Achei seu blog la no Cruz, e de vez em quando dou uma passada por aqui).

Percinho disse...

muito bom seu blog!!! gostei de seus desabafo.