segunda-feira, 24 de agosto de 2009

O inferno, o céu, e a terra

No Palmeiras, é sempre assim: se o time ganha, seremos campeões. Se perdemos, tem que demitir o elenco inteiro e mandar o técnico para o quinto dos infernos. Somos uma torcida extremamente passional e por isso, vamos do céu ao inferno entre uma rodada e outra.
Nesse final de semana, deu tudo certo. Como tinha um aniversário de uma amiga queridíssima para ir, não fui ao jogo. Contentei-me em estrear a minha MA-RA-VI-LHO-SA camisa azul no Bar Samba, onde comemoramos os 26 aninhos da dona Maria Fernanda Maia com muito chope e samba de verdade. Foi ótimo.
Lá pelas sabe-deus-que-horas, quando eu e a Melina estávamos indo ao estacionamento buscar o carro, lembramos de perguntar quanto estava o jogo: Palmeiras 2x0 Inter, para a incredulidade total das duas corneteiras de carterinha. Escutamos o resto do segundo tempo pelo rádio (inclusive o gol do Inter). Ganhamos a noite definitivamente.
Ontem, a seca-pimenteira das duas cornetas deu certo: obrigada, Furacão! Obrigada, Botafogo! Só faltou o Santos fazer sua parte, mas, vá lá, também não dá para querer tudo. Só sei que tudo de ruim que a rodada do meio de semana teve para o Palmeiras, se converteu em ótimos resultados no final de semana. E cá estamos nós de novo pensando no título, só nele.
Eu não vou falar do jogo, porque simplesmente não dá para comentar o que não se viu. Sei que pelos comentários que li, minhas opiniões se reforçaram ainda mais: nosso problema é elenco. Temos um bom time, mas um elenco muito meia boca. E, quando o técnico não inventa e coloca o time para jogar no 4-4-2, cabum, o time joga bem. Por isso, vamos lá repetir de novo qual o segredo para levantarmos esse caneco: reforços + escalações sem invencionices.
Certo, diretoria? Certo, Urtigão?
E no próximo final de semana tem clássico: Palmeiras X São Paulo. Jogo difícil, que pode tanto nos levar definitivamente ao céu, ou fazer o verdão voltar para o quinto dos infernos. Vai ser ruim não ter o Claiton Xavier (vamos torcer para que ele se recupera a tempo), principalmente porque, bem... a gente sabe dos problemas que o Palmeiras tem para jogar no Morumbi. Mas, como nem tudo é desgraça, nós temos um trunfo sem igual dessa vez: Muricy Ramalho no nosso banco.
Sim, eu não gosto do Urtigão, mas é inegável que ele vai fazer a diferença porque a) conhece o elenco do SPFC como ninguém, e b) deve estar doido pra calar a boca do arrogante do Dagoberto que falou mal dele.
Não será o fim do mundo um empate, mas estou confiante numa vitória. Pode ser que percamos e na próxima segunda, eu chute o balde aqui só para variar, mas algo me diz que tudo conspira ao nosso favor. Esse ano, inclusive, estamos com aquela sorte, aquela sorte de campeão que só abraça quem merece. Ou, vai dizer que não é sorte o time fazer 3 pontos em 4 rodadas e continuar líder?
Enfim, muita maracujina para todos, porque a adrenalina já está alta e essa semana, vamos quebrar tudo.

VAI, PALMEIRAS!

Um comentário:

Hype Style disse...

ver um texto tão palmeirense como esse é de dar orgulho. Faço de suas palavras, todas as minhas.
Avant Palestra