quinta-feira, 17 de setembro de 2009

MPA - Mídia Palestrina Alternativa

Eu sou favorável a uma mídia palestrina alternativa. E vou explicar por que.

Há tempos atrás, surgiu um movimento na internet de blogs independentes que procuravam mostrar notícias, opiniões e análises do Palmeiras com toda a subjetividade e criticidade que só o torcedor do Palmeiras sabe passar. O negócio foi crescendo e acabou sendo nomeado Mídia Palestrina. Era a salvação para o torcedor que não suportava mais as opiniões gambás, bambis e sardinhescas da mídia tradicional. Incluindo a dos jornalistas palmeirenses que, sem excessão, todos já foram xingados por todos os torcedores (incluindo eu mesma) de gambá, bambi, etc, etc.

Whatever, sei que, um dia, a Mídia Palestrina viu seus sonhos serem realizados. O Palmeiras finalmente se livrou de uma era de morte e escuridão e foi salvo pelo Belluzzo (que está fazendo uma boa gestão, apesar dos tropeços no início, diga-se de passagem).

E ai é que a coisa toda perdeu a graça.

Agora, todos se engalfinham por seu naco de poder. Eu entro na Mídia Palestrina e só vejo os blogueiros se acusando mutuamente, se xingando e todo aquele mimimi básico. Acontece que a diretoria do Palmeiras e a nossa atual patrocinadora resolveram abrir espaço para um diálogo direto com alguns sites da MP. E como não se estabeleceram regras claras, a casa caiu. As reclamações são de todos os tipos. Já vi blogueiro reclamar que não teve acesso a salas de imprensa, enquanto outros tiveram; já vi blogueiro reclamar de que não foi convidado para o evento X ou Y e o cicraninho foi. E blá, blá, blá, blá, blá.

Como eu disse há um certo tempo atrás, essa vida de jornalista não é fácil. Se você quer ter amigos, mude de profissão. Eu mesma mudei de área, porque conclui que ficar sendo xingado permanentemente por colegas de profissão, cartolas, jogadores, torcida e o escambau a quatro é só pra quem tem MUITA paciência. O que não é o meu caso.

Muita gente torceu o nariz para mim quando disse que achava errado um blogueiro (aquele que emite opiniões, não escuta os dois lados e é parcial) se considerar jornalista. Continuo achando porque tenho uma opinião muito clara sobre o que é jornalismo. Anyway, vejo que essa mistura de "penso que sou jornalista" + "preciso de carinho, amor, atenção e pessoas puxando o meu saco" vai foder de vez com tudo. Essas briguinhas por credenciais e convites mostram claramente isso.

Quem perde?

Bom, eu perco. Dos mais de cinco blogs que eu lia diariamente há um ano, estou lendo apenas um. Porque eu simplesmente não tenho saco pra ler os outros. Porra, tá certo que perdemos, mas o Palmeiras é líder e o povo fica brigando? Não, eu não consigo entender. E como não posso obrigar ninguém a mudar de postura, eu simplesmente paro de ler o que acho chato. Basicamente isso.

Sei que posso ser uma minoria entre os palmeirenses que dão audiência à MP. Até porque tem gente que simplesmente adora um barraco e pronto. Eu mesma faço a mea culpa e confesso que já contribui para um barraco daqueles na MP (embora não tenha sido a intenção e eu continue achando que blog é diferente de jornalismo em 99% das vezes). Acho que errei na maneira como expus minha opinião, embora eu a sustente hoje para qualquer um. Enfim, o que quero dizer é que essas brigas todas entre pessoas que querem a mesma coisa (o Palmeiras campeão) é muito chata e não contribui com nada. Essa postura beligerante só traz mais confusão e por isso, sou favorável a uma Mídia Palestrina Alternativa com bom humor, rock 'n roll e muitos posts enviados diretamente do bar da piscina, com todo mundo escrevendo de biquíni e sunga enquanto toma uma cerveja gelada.

Ok, isso nunca vai acontecer. Mas tenho certeza que se a minha proposta se concretizasse, a MP voltaria a ser muito mais divertida. Assim como era antes.

Porque aqui é Palmeiras, caralho, não o blog X, Y ou Z. Tá?

2 comentários:

Monica disse...

Putz, não podia concordar mais!!!!!!!

EA! disse...

Pra mim Blog, twitter... não é jornalismo! Isso é só ferramenta da expressão de interesses/visibilidade das PESSOAS! Simples

O jornalismo está mudando por concorrer com "perfis comunicadores". Pessoas que leem (agora sem acento) e respondem em tempo_real. A Publicidade, Rp, Ai, Cinema, Música, Teatro, Tv tudo que comunica, está mudando pela morte do receptor estático, cego-surdo e principalmente MUDO.

No caso, não valorizo o trabalho do jornalista da Folha por conseguir um furo. Do Lance por fazer uma bela matéria... só acho que o papel do editor chefe tem de ser muito policiado, pois esse sim deveria saber o que está fazendo. Deveria honrar o termo RESPONSÁVEL na assinatura do seu trabalho.

Não considero nenhuma dessas performances de cibercultura um trabalho jornalístico, por melhor que elas sejam, pois como iniciei dizendo... são apenas Máscaras de Pseudoidentidades que ganham força e eco de uma coletividade "always on" dos tempos atuais.

Não é bom, nem tampouco ruim, só é o que é e a partir de agora será.

Guz