terça-feira, 8 de setembro de 2009

Post sem acento

Os acentos se foram. O computador foi formatado, tudo se apagou. Inclusive os acentos. Eu nao tenho como acentuar a palavra nao. Meu eh tem um H em lugar do acento. Acabou a ilusao de que era possivel escrever sem acentos. Porque os acentos se foram, e nada vai mudar isso. A menos que se apague os acentos da minha memoria, para que esqueca completamente que um dia eles existiram, os acentos continuarao a martelar na minha cabeca. Nao ha acentos. E eu nao sei o que fazer.

Porque os acentos eram a pureza, a prova de que tudo poderia ser correto, que tudo seria sempre lindo. Mas os acentos se foram e ficou a verdade nua e crua: as palavras sem acentos existem: desfiguradas. A vida sem acentos eh torta, perigosa e imprevisivel. Mas eu nao tenho mais acentos. Soh me restam as palavras desfiguradas que mostram a essencia exotica de tudo.

Eu nao tenho acentos. Tem algo errado com isso. Eu preciso entender porque os acentos se foram. Eu preciso entender como faco para tocar minha vida, sem acentos. E o que fazer com as palavras que restam...

2 comentários:

Madinelli disse...

Os acentos se vao, e nao importa o que se faca. Nao se vao apenas quando formatamos o micro, eles, muitas vezes, partem por vontade propria. E a vida sem acentos, fica mais vazia de sentido. Existem ainda, os que nos tiram os acentos, nos roubam as palavras em sua forma mais lapidada, tudo por nao terem suas proprias palavras, com seus acentos inclusos. Nos roubam o brilho, por nao saberem brilhar. Mas a vida segue, seguindo seu rumo, implacavel, sem desviar-se um milimitro que seja, do destino ao qual nos sentenciou. O livre-arbitrio soh nos permite escolher ir de fusca ou bicicleta, pois, a estrada de fato, eh sempre uma soh.

Filipe disse...

Um horror, a vida sem acentos.

Mais horrível ainda é o jeito que arrumaram de se escrever sem acento, sendo que inventaram esse jeito tendo disponíveis os acentos.

Um horror.