segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

Cancun: lugar para solteiras e solteiros dançarem "ai se eu te pego"


Todo mundo gosta de viajar, né? Como ainda não sou RYCA para fazer várias viagens internacionais uma depois da outra, convidei uma grande amiga de infância (infância mesmo, estudamos junto no pré-escolar, saca?), a dona Nicole Azambuja, para escrever como é conhecer Cancún. Como sei que várias leitoras desse blog estão solteiras, acredito que vocês vão adorar as dicas e pensarem seriamente em conhecer esse paraíso nas próximas férias. Então, fiquem com o relato da Nic e enjoy! =)

ps. Claro que fiquei morrendo de vontade de ir também. 

A Nicole e as amigas. A Nic é a segunda da esquerda para direita. 

Visao do resort em Cancún da janela do hotel. Como não morrer de vontade e embarcar AGORA mesmo? Ainda mais com esse calor infernal que está em São Paulo.


Quando a Cibele minha amiga de infância pediu para que eu escrevesse algo sobre Cancún, eu pensei: “putz vai ser muito fácil!”. Afinal, aquilo ali é sensacional. Mas é muito difícil descrever o indescritível porque você precisa estar lá para receber a energia daquele lugar. Quando eu resolvi ir para Cancún pensei que seria bom, mas não imaginei que seria perfeito.

Primeiro, porque fomos em quatro amigas solteiras com o intuito de nos divertir -  lógico que,, com moderação, sem-moderação nós deixamos para as americanas (elas enlouquecem). Nunca vi tanto peito e bunda exposto nas baladas. A gente assusta no começo, mas depois acostuma! As brasileiras também entram na onda.

Ao escolher o resort, entre na internet e pesquisem sobre, pois quase caímos em uma furada. Mas ficamos em um chamado Grand Park Royal Cancun Caribe. Muito bom, mas quase não tinha gente jovem hospedada, mais casal e família. O atendimento era excelente, os funcionários se esforçam para falar nossa língua e até preferem o português que o Inglês. Acham a nossa língua muito bonita (achei o máximo). Somos os queridinhos por lá! Os funcionários têm aula de português dentro do hotel,  o que eu achei mais massa ainda. Enfim, Resort lindo, lindo, lindo! Daqueles de ficar de boca aberta, e olha que o nosso não era o mais chique da zona hoteleira. Só tem uma coisa: os mexicanos não sabem fazer sobremesa, e a fruta deles não é boa igual a nossa. A comida é muito gostosa, mas enjoa, (como toda comida de restaurante se você comer todo dia). Mais 3 dias daquele tempero e eu pedia pra sair.

Os passeios para se fazer não são caros, mas fizemos apenas um, que foi nadar com os golfinhos.  Recebi o apelido de sereia - não por ser parecida com uma, mas sim porque eu tenho uma ligação muito forte com o mar, ele me emociona de uma maneira muito forte. Então, vocês podem imaginar o quanto eu AMEI nadar com os golfinhos. Eles são lindos, encantadores e dóceis. Confesso que no primeiro momento fiquei com medo, mas relaxei e aproveitei muito.  Fica em um lugar chamado Isla Mujeres, que fica uns 20 minutos de barco, mas o mar é tão azul que você nem percebe o tempo passar. Pagamos 95 dólares por esse passeio, incluso comida, bebida e o mergulho com os golfinhos.  Vale a pena!

Minhas amigas fizeram o passeio de paraglider, em que você é puxado por um barco, e fica em uma espécie de paraquedas com banquinho ( deu pra entender?). Sei que elas amaram. Diz que é um silêncio absoluto, e a vista é perfeita. Preço? 50 dólares. Eu sou bem de boa com esse negocio de altura, não me apetece.
O mar onde ficava o meu resort era muito forte, quase impossível de tomar banho. Um grupo de amigo ficou em um resort em que o mar parecia uma piscina, então depende do lugar que você fica.  Uma dica importante, nunca ande de taxi, sempre de ônibus. Tem ônibus a cada 2 segundos. Juro! Eu nunca fiquei esperando, pisava no ponto e já chegava um ônibus. Você paga 8.50 pesos ( equivalente a INCRÍVEIS  1,20 reais) e roda Cancun inteira. A moeda é bem desvalorizada. Pegava táxi somente para voltar da balada, e eles cobravam 10 dólares.  Eu sempre pagava em peso. Acreditem eu saquei 1.200 pesos ( equivalente a 171.00) no dia que cheguei  e ainda voltei com 50 pesos para casa. Com esse dinheiro pagava ônibus, taxi, presentinhos e afins.

As baladas são todas em dólares. E todas são open bar. A mais cara foi Coco Bongo, pagamos 55 dólares.  Gente sabe aquela balada TEM QUE IR? É Coco Bongo. Nunca fui em uma balada tão diferente, louca e especial.  Muito bem organizada, com muitos funcionários, segurança, e gente do mundo inteiro. É balada misturada com musicais, tive o prazer de ver Elvis, Fred Mercury, Madonna, Lady gaga, Michael, Guns, e muitoooos outros. O especial é ver uma escola de samba com um monte de mulata sambando. Arrepiante!!  Fui duas vezes para me certificar de que era aquilo mesmo. Haha! =)

Outra que TEM QUE IR é The City, (essa eu não fui), mas minhas amigas disseram que é tal qual Coco Bongo, com mais gente bonita e maior. Custa 55 dólares também. Fomos ao Bulldog, e Sweet que são divertidas também, mas nada comparada com as duas primeiras. Essas custam 45 dólares. Outra coisa legal é que o hotel disponibiliza um funcionário e um ônibus para levar os hospedes para a balada, você paga o convite e tem o transporte na faixa, eles te colocam na frente de todo mundo e disponibilizam o melhor lugar da festa.. . (assim como em SP, cigarro terminantemente proibido na balada, eles arrancam da sua boca. Amei).

Mas não só de balada se vive não é mesmo? Então nas horas vagas íamos às compras. Rsrs. Recomendo Shopping La Isla, com muita marca boa e BARATA. Meninas, maquiagem da MAC (“todas grita”) bem em conta. Zara com opções legais e baratas também. Não recomendo shopping Kukulcan, ao menos que você seja bem rico e possa comprar Burberry, Louis Vuitton Salvatore Ferragamo; do contrário você, igual à gente, vai passar muita vontade.Um pouco antes do La Isla tem umas galerias com lojinhas de souvenir. Lá você se esbalda de comprar pimenta, tequila, corona, e muitos presentes para os amigos. Dizem que tem um shopping chamado Praça das Américas, muito legal, mas esse nós não fomos.

Pessoal aproveitem muito quando forem! Sete dias é pouco para tanta beleza. Resolvemos que dormir é para os fracos e, por isso, dormimos 5 horas por dia no máximo. Afinal, posso dormir bastante aqui em Três Lagoas.  (Tá, ta bom, no último dia não dei conta de ir pra balada). Saímos da beira da piscina só quando o sol ia embora. Rsrs.

Acho que exagerei no relato, mas tem muita coisa ainda! Então, como eu sou psicóloga e não jornalista deixo a parte de escrever maravilhosamente bem para a Cibele. ADOREI a oportunidade de relatar algumas experiências daquele lugar mágico e espero que vocês possam um dia sentir o que eu senti. Ahhh garotas, já ia esquecendo, como a gente diz aqui no Mato Grosso do Sul, “homem naquele lugar pra dar com pau”. Enjoy!
ps : em todas as baladas e durante o dia no resort, adivinha o que MAIS tocava?? Isso mesmo, “ai se eu te pego”. Hahaha. Os gringos enlouqueciam.


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Por que homens cafajestes enrolam mulheres inteligentes?



Eis ai o maior mistério da humanidade. Pelo menos, do lado mulher da humanidade. Esse sempre foi um tema que sempre me deixou intrigada e sobre o qual tenho pensado muito recentemente. Como mulheres tão bacanas são feitas de bobas por caras tão miguelentos, xavequeiros, óbvios, etc?

Como eu não sou homem, é óbvio que essa resposta não é óbvia para mim. Até porque, como toda mulher, eu já fui enrolada por cafajeste (quem nunca?). Mas tem sido mais fácil analisar isso e pensar sobre o tema quando você está amando e feliz tendo um homem NÃO cafajeste contigo. Lembro que quando estava solteira, lia muito o famoso blog Manual do Cafajeste (que hoje é escrito não mais pelo Cafa original, mas pelas crias do Cafa) e sempre pensava "meu Deus, como os homens podem ser escrotos assim?". Mesmo assim, isso não impediu que tivesse o prazer de encontrar com alguns desses tipos pelas estradas da vida.  E ai, é o que mais me intriga: como, tendo todas as informações para bater o olho e ver que fulano ou sicrano não prestavam, eu me deixei enrolar?

Esse questionamento serve para todas as amigas que já vi, vejo e verei sendo enroladas por caras babacas que não querem nada com nada mas enrolam as mulheres simplesmente pra ter para quem ligar quando não tiver nada para fazer. Converso sempre sobre o assunto com meu namorado também, em busca de respostas. Só que como ele não é um cafajeste por natureza (longe disso, é fofo do tipo "todas quer"), temos ótimos braimstorms, mas a resposta ainda não apareceu - o que me faz desconfiar que ela seja complexa e passe por uma série de questões. Como insegurança, carência, medo de enxergar de ficar só (o que faz com que você aceite qualquer coisa que esteja disponível), falta de caráter (do cara que mente e engana), insanidade e cegueira (só isso explica alguém chorar e querer cortar os pulsos por aquele cara zoado, feio, escroto e imbecil que todo mundo zoa e só você morre de amores por).

A insegurança, para mim, empata com a carência no topo dos motivos que fazem uma mulher ser enrolada por um cafajeste. Funciona assim: você é linda, maravilhosa, inteligente, tem uma carreira legal, bons amigos, é amada por muitos (e invejadas por algumas). E todo mundo enxerga isso, exceto você. Ai, o que acontece? Chega aquela festa e, quando aquele cafa clássico - lindo, cheiroso e muito cheio de lábia - chega pra conversar contigo, você fica toda feliz, porque, afinal, aquele super cara está de dando bola, certo? Só que está errado - porque você tão ou mais interessante que o cara, mas na sua cabeça, você acredita piamente que é uma honra ter a companhia do garoto. E o que acontece? O bonitão vem, pega e quando percebe que você está apaixonada, começa o espetáculo de circo que todo cafa/palhaço protagoniza com méritos. E você, fica ai, sofrendo, se achando a pior pessoa do mundo, quando na verdade, o escroto é ele e a poderosa é você.

Mas pode ser que você esteja segura do quanto seu corpo e rosto são lindos, como você é legal e boa companhia. Só que você está carente porque há tempos não conhece ninguém que ache interessante - quanto mais inteligente a mulher, mais difícil é achar algum homem interessante. E quando você acha, é um cafa. Você pega, se apega e se fode porque enquanto você imagina como os filhos dos dois serão lindos, ele tá te dando um perdido pra ir para uma mega balada com os amigos cafa passarem o rodo na mulherada. Mas como ele é fofo quando vocês se encontram e não tem ninguém mais interessante, você vai se apaixonado, se afeiçoando, ficando dependente do cara. E quando ele percebe isso, faz a festa, porque sabe que você está carente e sem opções. Logo, por mais que a desculpa de falta de tempo seja mais furada e velha que pneu de carro da segunda guerra mundial, ele sabe que você vai continuar aceitando por falta de opção. E você aceitam achando que um dia vai conseguir convencê-lo.

Insanidade e cegueira surgem quando você está carente e insegura. É quando os cafas fazem a festa porque mulher insegura e carente é pior do que mulher após beber um litro de vodca (imaginem uma mulher carente, insegura e bêbada). Nesse momentos (que TODAS as mulheres já viveram) você fica realmente cega, surda e louca. Cega, porque não basta cair nas mãos de um cafa. Você cai na mão de um cafa feio, baixinho, barrigudo, pobre e malandro, que vai depenar sua carteira (uma amiga, por exemplo, arrumou emprego, comprou roupas e tomou um pé na bunda com dois meses de namoro de um cara HORROROSO E BURRO). Ou o cara dá em cima das suas amigas NA SUA FRENTE e você ainda vai e fica com o cara no final da balada. Só Saramago explica. Surda porque TODAS as suas amigas estão te falando o quanto o cara que você está saindo é um escroto e nada entra na sua cabeça. Seu ouvido cria filtros e os termos "esse cara" e "babaca, escroto, te trata mal, tá saindo com outra, tá te enrolando, etc" simplesmente não penetram no canal auditivo. E louca porque, né, pra ficar com um cara feio, chato, escroto, mentiroso, que tem o xaveco mais furado do mundo (no estilo "ai se eu te pego"), só estando BEM PIRADA. E é isso que a mistura de carência + insegurança + cafajeste à disposição faz com uma mulher. DEIXA ELA LOUCA.

Portanto, por que homens cafajestes enrolam mulheres inteligentes? Não sei dizer todas as razões ainda, mas uma com certeza eu sei: PORQUE ELES TÊM SORTE em encontrar mulheres carentes e inseguras por ai  E PORQUE TEM POUCA CONCORRÊNCIA NO MERCADO. Logo, a gente acaba pegando o que tem e não o que a gente realmente quer. Porque, no fundo, a gente sabe que está sendo enrolada e nos deixamos enrolar por... falta de opção.


PS. claro que essa não é uma resposta séria, mas isso é um blog; logo, sem compromisso com a seriedade. Mas, para sorte da gente e azar deles, eu estou realmente estudando o tema a fundo e vou escrever um livro  SÉRIO sobre o tema. Se você quiser contribuir com a minha pesquisa, pode colaborar deixando sua opinião nos comentários e/ou indicando o cafa da sua vida para eu entrevistá-lo (é sério).

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

PARIS - Comer e Beber


Vamos falar sobre uma das melhores coisas da Vida? (não, não estou falando em sexo :-P)
É muito bom comer. Beber, idem. E se você está em Paris, qualquer lanchinho na esquina é um banquete. Porque a comida é maravilhosa em cada cantinho da cidade. Seja aquela baguete ou foie gras, coq au vin com crème brûlèe de sobremesa.

E o que comi na França?

Baguetes: Muitas baguetes. Para quem está na correria querendo fazer aquele roteiro, baguete é uma ótima pedida. Tanto quente como fria. Experimentei várias, de vários sabores e gostei muito de tudo. Sem contar que é uma refeição que realmente te satisfaz. Se você está com pressa, pule o Mac Donalds e vá de baguete.

George V: Comi um bife maravilhoso no Café George V. Mesmo assim, não recomendo comer lá. O preço “Champs Elysée” é caro e não compensa. Você pode caminhar duas quadras e ir em outro restaurante das ruas paralelas e pagar 15 euros em um prato, diferentes dos 30 cobrados no George V.  Para vocês terem uma ideia: 2 pratos, uma água e um refrigerante resultaram em uma conta de 85 euros. Com a metade disso, você pode comer muito bem nas redondezas.

Café Les 2 Moulins: é o famoso café do filme “O Fabuloso Destino de Amélie Polauin”. Entupido de turistas, mas agradável do mesmo jeito. No almoço, com 15 euros, você come entrada + prato principal ou prato principal + sobremesa. É delicioso, acredite. Compensa CADA euro gasto e digo sem pestanejar que lá eu comi o melhor penne ao molho de três queijos da minha vida. Passeio gastronômico obrigatório. Fica há duas quadras do Moulin Rouge, em Montmartre.

Pizzaria da Champs Elysée: Não lembro o nome, mas fica pertinho do Arco do Triunfo e do café George V. Pizzas entre 10 e 14 euros que dão tranquilamente para duas pessoas. Maravilhosas e o atendimento é muito bom – tem um garçom francês que fala português porque é casado com uma catarinense.
Aqui, um parentese: PIZZA é coisa de Deus na França. A de quatro queijos tem pedaços galopantes de queijo brie. E custa muito barato na média. Exemplo: uma baguete custa entre 4 e 6 euros, e uma pizza pra duas pessoas, em média, 10. Compensa muito mais dividir uma pizza do que comer duas baguetes. E, em alguns lugares, eles fazem meia/meia.

Crepe de Nutella: todo mundo falava pra mim e, realmente, não dá pra não comer. É MUITO BOM, assim como o waffle de nutella. Se estiver no inverno, comam sem dor na consciência (eu não engordei uma grama que fosse na viagem, mesmo comendo igual a uma retirante). Chocolate quente de acompanhamento é ótimo, principalmente se você estiver na fila de 3 h da Torre Eifel. Ps. Não olhe muito para os potes de Nutella de um quilo, ou você vai ficar sonhando com isso durante um bom tempo.

Vinho/Água/Refrigerante/Champagne/Cerveja: Beba vinho, cerveja e champgne. Não beba água e nem refrigerante. O motivo? Os últimos dois itens custam UMA FORTUNA na terra do beicinho. A taça de vinho custa os mesmo 5 ou 6 euros da água e do refrigerante em qualquer lugar. Como eles te servem uma jarra de água graça, vá nas bebidas alcoolicas. E invista forte nas taças de champagne por 8 ou 10 euros. Deliciosos e com um excelente custo, principalmente se a opção é pagar 6 euros no refrigerante. Cerveja na França só encontrei duas, basicamente: Heineken e 1664. Fiquei basicamente na 1664, que é muito boa.  

No mais, esbalde-se, coma sem dor na consciência e seja feliz. 
Porque Paris é comer, é beber, é ser feliz.