quinta-feira, 27 de março de 2014

Música de ninar?

Direto ao ponto: eu não sei cantar músicas de ninar. Na verdade, sei "Atirei o Pau no Gato" e "Ciranda Cirandinha". Mas a primeira, acho melhor não ficar cantando considerando que temos dois gatos na casa que vão conviver com a Luísa para o resto da vida deles. Vai que ela cresce ouvindo e leva a sério o papo de atirar o pau, né? Melhor não. E ficar repetindo "Ciranda, cirandinha" sem parar não é o meu forte.

Não gosto de  músicas infantis, no geral. mas, enfim, eu tenho uma "bebéia" de pouco mais de um mês e preciso cantar pra ela. Sim, é uma necessidade, porque eu preciso trabalhar e cantar é uma maneira vem eficiente para acalmá-la após as mamadas (e fazê-la dormir). Sem contar que é uma maneira muito eficiente de estimular a audição e aumentar a relação mãe e filha. Só que eu não sei/gosto de músicas de ninar. Como faz? Adapta!

Quando estava grávida, li que era legal estimular a audição do bebê desde a barriga. Então, enquanto trabalhava, colocava músicas pra Luísa ouvir. Nessa toada, ela ouviu muito Bethoveen, Mozart, Vivaldi e Tchaikovsky, meus clássicos preferidos. E também ouviu muito Franz Ferdinand, Kaiser Chiefs, Strokes, REM, Blind Melon, Beatles, Rolling Stones e Dire Straits, minhas bandas preferidas. E, de quebra algumas músicas especificamente, ela ouviu dezenas de vezes. Como "Get Lucky" do Daft Punk e "We are young" do Fun. Cantava essas músicas pra ela na barriga e não foram poucas as vezes.

E não é que, agora, fora da barriga, ela também curte ouvir e se acalma quando eu canto essas músicas pra ela? Então, eu adaptei o ritmo de músicas que eu gosto para o estilo "ninar" e uno o útil ao agradável. Então, "Why dont we sing this song all together" vira "Plim, plim, plim, plim this song all together" pra fazer a quiança feliz. Outra adaptação é emendar o refrão de Glad You Came com "pirinpimpim". Outras adaptações bastante frequentes aqui envolvem  "parapara", "firinfinfim" e qualquer palavra terminada em "inha".

Penso que, mais do que pagar mico por ser uma mãe que não conhece canção de ninar, eu estou trabalhando em prol de livrá-la da má influência do funk, sertanejo universitário e afins no futuro. Afinal, bom gosto tem que começar de algum lugar, certo? 
Por hora, o gosto musical da mamãe está no topo da parada de sucesso da sonequinha da Luísa.



I´m glad you came, Luísa!


Nenhum comentário: